Posts Tagged ‘Clássicos da Literatura em Quadrinhos’

Por que ler “Os miseráveis” em HQ depois de assistir ao filme

segunda-feira, 4 fevereiro 2013

Por Paula Taitelbaum

É provável que o filme Os miseráveis venha a ser primeiro contato de muitas pessoas com a grande obra de Victor Hugo. É o seu caso? Não se condene por isso: mergulhar nas tantas páginas e nos vários personagens do livro original não é tarefa fácil. Quando eu era uma jovem e voraz leitora (mais jovem do que voraz) cheguei a pegar o livro e li várias partes, mas não me dediquei a ele como deveria. O que me dá uma certa vergonha.

Mas desse tempo ficaram algumas lembranças que vieram à luz quando assisti ao filme.

Não tenho nada contra musicais, mas sempre acho que eles ficam melhores sobre um palco da Broadway. Sem contar que fiquei um pouco irritada com o fato de Jean Valjean e Javert não envelhecerem praticamente nada com o passar dos anos. Se no teatro é difícil envelhecer, no cinema é facílimo. Portanto, qual a explicação para os atores Hugh Jackman e Russel Crowe passarem dos 40 para os 60 anos sem uma ruga a mais no rosto ou um fio de cabelo branco extra na cabeça? E isso é uma coisa que me marcou: Valjean era velho.

O que não quer dizer que o filme não tenha lá seus predicados. O elenco está muito bem dirigido, o ponto alto é mesmo Anne Hathaway cantando a música tema (apesar de eu ter lembrado da Suzy Boyle) e as crianças – principalmente o menino que interpreta Gavroche – são um espetáculo à parte. E por ser um musical e, assim uma versão da obra de Victor Hugo, muita coisa fica no ar para quem não conhece a história original.

É por isso que, depois de assistir ao filme, você precisa – repito: precisa -  ler a bela adaptação de Os miseráveis da série Clássicos da Literatura em Quadrinhos. Eu fiz isso e, abaixo, listo dez motivos que fazem valer essa minha sugestão:

1. Como essa versão para os quadrinhos é bastante fiel ao original, você conhecerá passagens importantes que o filme mudou ou que foram omitidas nesta adaptação cinematográfica.

2. Ao ler Os Miseráveis em HQ, você vai descobrir como Jean Valjean tornou-se prefeito de Montreuil-Sur-Mer e porque Fantine estava lá. Para completar, saberá como Cosette foi parar nas mãos do casal  Thénardier.

2.  Na cena em que Jean Valjean decide ir ao tribunal, ele encontra-se com três  condenados que são testemunhas de um caso, o diálogo entre eles é fundamental para entender o contexto dessa passagem. E isso não aparece no filme.

3. No quadrinho, como no original, a relação de Jean Valjean com Fantine é mais longa do que no filme. E você verá que Javert ajudou a apressar o fim dessa personagem, o que o torna ainda mais odiável.

4. Você vai conhecer um trecho do livro que foi abandonado no musical: Jean Valjean é preso novamente, ganha um novo número e acaba sendo dado como morto.

5. A batalha de Waterloo está presente na história original e Thénardier, que no filme é vivido por Sacha Baron Cohen, salva a vida do pai de Marius, o que será importante a certa altura da história.

6. Ao ler a adaptação para HQ, você fica sabendo o que aconteceu com o pai de Marius e porque o jovem foi criado pelo avô materno, um monarquista. Também descobre como Marius conheceu os revolucionários.

7. Vai saber o nome da boneca que Cosette ganhou de seu protetor. E também descobrirá onde Jean Valjean e Cosetti ficaram – e no que ele trabalhou – enquanto a menina crescia.

8. Conhecerá um pouco mais da história do menino Gavroche e terá uma surpresa ao saber de quem ele era filho.

9. Verá que o final do livro é um pouco diferente. Além disso, conhecerá o poema criado por Victor Hugo para o túmulo de Jean Valdjean.

10. O final da adaptação de Os miseráveis da Série Clássicos da Literatura em quadrinhos traz um dossiê sobre o autor, sua época e sua obra. 16 páginas que contam, através de um ótimo texto e várias imagens, muita coisa interessante sobre Victor Hugo, a França do século XIX e as pessoas que viviam em Paris naquela época.

O que dar de presente para…

quarta-feira, 19 dezembro 2012

Todo ano é assim: chega perto do Natal e você lembra que faltou algum presente. Ou porque é uma pessoa que entrou agora na família ou porque é um convidado de última hora da ceia natalina.

O NAMORADO DA FILHA – Sua filha ainda está na adolescência e já tem alguém chamando você de “sogrinha”? Para ele, sugerimos algum título da Série Clássicos da Literatura em Quadrinhos como Guerra e Paz, Odisseia ou Os miseráveis. Na verdade, você pode fazer um kit com vários títulos dessa série. Assim manterá o garoto ocupado por mais tempo.

A NAMORADA DO PAI – Ela é bem mais nova do que o seu pai. Na verdade, tem quase a sua idade. E pra piorar no quesito “escolha do presente”, você não tem nenhuma intimidade com ela… Se esse for o caso, a melhor opção é Simon’s Cat, um divertido livro com o gato mais famoso do Youtube. Detalhe: ele não tem nenhuma palavra, só imagens (entendeu a indireta?).

A TIA SOLTEIRA – Não estamos falando de “tia solteirona”, pois isso é coisa do passado, mas daquela tia que já foi casada e que hoje prefere aproveitar a vida viajando com as amigas ou namorando muito. Pra ela, sugerimos Um lugar na janela, de Martha Medeiros, com histórias de viagens para ela se inspirar e seguir conquistando o mundo.

A PRIMA ENCALHADA – Se ela anda desesperada por casar ou pelo menos tem bom humor, vai adorar ganhar Por que você não se casou… ainda, um livro da americana Tracy McMillan que, como anuncia a capa, é “A conversa séria que você precisa para conseguir o relacionamento que merece”. Se der certo, provavelmente ela vai lhe convidar pra ser a madrinha do casório.

O TIO QUE NÃO É TIO – Quase toda família tem um tio agregado. Um amigo de infância do seu pai ou um primo distante que não tem filhos e que há anos aparece no Natal. E apesar disso, você nunca sabe o que dar a ele… Mas esse ano vai ser fácil! Uma história do mundo, de David Coimbra, com certeza vai fazer seu tio emprestado bem feliz.

A NOVA ESPOSA DO IRMÃO – Quando você estava se acostumando com a sua cunhada, seu irmão anuncia que se separou e que já tem outra na parada. Ou seja: você não faz a menor ideia do que dar de presente a essa nova agregada da família. Na verdade, você nem a conhece ainda! Nesse caso, um livro que não tem erro é o ótimo Uma breve história da filosofia. Ainda mais que filosofia está na moda.

O IRMÃO DO GENRO – Sua filha anunciou que vai trazer o cunhado pra festa de Natal. E você nem imagina o que dar de presente a ele. Que tal Os filhos dos dias de Eduardo Galeano? Um livro que parece condensar a história da humanidade em 366 belos textos – um para cada dia do ano. É uma obra que agrada a todos, mesmo os que não são leitores assíduos.

Dez sugestões para crianças

quinta-feira, 11 outubro 2012

Contos da Mamãe Ganso Recém lançado na Coleção L&PM Pocket, este livro traz os chamados “tesouros da cultura francesa”. São histórias clássicas criadas por Charles Perrault como Chapeuzinho Vermelho, Gata Borralheira e o Pequeno Polegar. Aqui, estes contos são narrados como no original. Por isso, atenção: como o final das histórias nem sempre é feliz, ele é mais indicado para crianças a partir de 10 anos.

Alice no País das Maravilhas – Clássico dos clássicos infantis, Alice no País das Maravilhas é pura fantasia, poesia e metáforas. Divertido e instigante, é um livro encantador para todas as idades que, nesta edição, com tradução de Rosaura Eichenberg, mantém de forma primorosa o espírito da obra máxima de Lewis Carroll.

Peter Pan – “Todas as crianças crescem, exceto uma.” Assim começa este outro clássico imperdível. A verdadeira história do menino que não queria crescer está narrada aqui, em Peter e Wendy seguido de Peter Pan em Kensington Gardens. Além de Peter e Wendy o livro reune todos os personagens que habitam o imaginário infantil, como Sininho e Capitão Gancho.

Peanuts completo – A série Peanuts Completo, que tem como objetivo publicar todas as tiras criadas por Charles Schulz, já chegou ao seu quinto volume. A edição de luxo, em capa dura, é um presente lindo que impressiona pela sua forma e, claro, seu conteúdo. O volume 5, com tiras de 1969-1960, traz a favorita de Schulz: “Observando as nuvens”.

Simon´s Cat – Para crianças que gostam de gatos, este livro é imperdível. Simon’s Cat apareceu pela primeira vez na internet e logo virou o maior sucesso no Youtube. Suas aventuras estão aqui neste livro que não precisa de palavras para mostrar que os gatos sabem se fazer entender. Além do formato convencional, ele também é encontrado em dois volumes pocket.

Poesia de bicicleta – Um raio de sol, uma fruta, uma brincadeira, um ditado popular. Para Sérgio Capparelli, o cotidiano é um poema em si, que se desdobra por entre as páginas de Poesia de bicicleta com a singeleza de um autor que sabe se comunicar com as crianças como ninguém. Um livro perfeito para ser lido antes de dormir.

100 melhores lendas do folclore brasileiro – Em suas 200 páginas, este livro reúne histórias transmitidas oralmente por séculos a fio, recontadas à sua maneira por cada narrador. O autor, A.S. Franchini, conta sua versão de algumas das mais emocionantes histórias do folclore nativo, nas quais o fantástico e o popular se unem para recriar relatos sobre a formação dos povos e do território brasileiro.

Deuses, heróis e monstros Deuses, heróis & monstros – As asas de Ícaro e outras histórias da mitologia para crianças oferece aos pequenos leitores dez das mais conhecidas histórias da mitologia greco-romana como As asas de Ícaro, O toque de Midas, A caixa de Pandora e Teseu e o Minotauro. Ilustrados, estes textos despertam o interesse da criança ou do adolescente pela mitologia.

Clássicos da Literatura em Quadrinhos – Uma série que já soma 10 títulos e que encanta crianças de todas as idades. Essa coleção é um grande sucesso na França e Bélgica e reúne títulos que fazem parte do patrimônio literário mundial, adaptadas para o universo dos quadrinhos por uma equipe de renomados roteiristas e ilustradores.

Contos sobrenaturais chineses – 25 contos de várias épocas da cultura chinesa, histórias muitas vezes fantásticas, ilustradas com bonecos de teatro de sombra chinês. O livro tem organização de Sérgio Capparelli e Márcia Schmaltz e oferece um mergulho em uma cultura milenar. Lindo, colorido e encantador.

Quadrinhos podem ajudar vestibulandos a conhecer clássicos da literatura

segunda-feira, 27 agosto 2012

Uma das dicas mais recorrentes para se sair bem no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), nos vestibulares e nas redações é ler bastante. Alguns estudantes, entretanto, não cultivam este hábito. Os dados da pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil” mostra que o número de leitores recuou: em 2007, eram 95,6 milhões de leitores, mas, em 2011, houve recuo para 88,2 milhões.

Apesar do recuo, os dados mostram que 48% dos estudantes são leitores. Já quando pesquisamos o ensino médio, 30% dos alunos destas séries têm o hábito de ler. Estes, portanto, costumam ter uma vantagem em relação aos vestibulandos que correm dos livros. Para quem não curte muito os clássicos da literatura podem encontrar nos quadrinhos bons aliados.

A L&PM Editores está lançando alguns clássicos da literatura mundial com adaptação para os quadrinhos.

- Não é uma concorrência com o mercado editorial dos livros. Os quadrinhos são uma maneira lúdica de o professor chegar ao coração do aluno. A partir daí, esse leitor pode buscar a versão original ou até mesmo outros livros, como acontece muitas vezes, ou seja, os quadrinhos podem apresentar o universo da leitura – comenta Ivan Pinheiro Machado, editor da L&PM Editores.

A L&PM passou a investir na adaptação de clássicos para quadrinhos quando percebeu que esse esse tipo de leitura já não era mais rejeitado pelo Ministério da Educação (MEC) que, inclusive, já faz compras dos livros, assim como algumas secretarias de educação estaduais, para abastecer bibliotecas.

- Até o fim da década de 90, o MEC não aceitava bem adaptação de obras e histórias em quadrinhos. A medida que este conceito foi mudando, percebemos que este era um bom mercado. Fizemos uma longa pesquisa e recebemos o apoio da UNESCO, o que mostra que mantivemos a ideia central do autor, ou seja, que fomo fieis ao tema da obra. Aproveitamos que já sabíamos fazer histórias em quadrinhos, já que a empresa nasceu editando quadrinhos – revela.

Para o editor da L&PM Editores, um dos pontos fortes é a forma lúdica de apresentar a história.

- Justamente por apresentar a história de uma maneira lúdica, o quadrinho acaba criando uma ponte entre o mundo real e o virtual, cada vez mais presente na realidade dos adolescentes e jovens. Dessa maneira, é possível fazer uma ligação entre grandes autores e um público que talvez estivesse afastado deles.

"Odisseia" é um dos títulos da Série Clássicos da Literatura em Quadrinhos da L&PM

Trecho de matéria originalmente publicada no Jornal Extra online, editoria Vida de Calouro, em 27 de agosto de 2012.

Aleluia!!! Os quadrinhos foram reabilitados!!!

terça-feira, 28 fevereiro 2012

Bons ventos sopram pela chamada “academia”; finalmente foram “descriminalizadas” as histórias em quadrinhos nas escolas. Aqueles que são jovens há mais tempo lembram muito bem que, num passado bem recente, as HQs eram proibidas em sala de aula. Professores de literatura e português faziam sinal da cruz diante de um álbum de quadrinhos, como se estivessem em frente ao demônio.

Mas, como tudo passa, esta onda também passou. Uma geração mais arejada de professores absolveu as HQs dos pecados da superficialidade dos quais era acusada e colocou finalmente nas mãos dos jovens leitores algumas obras-primas de arte e literatura.

Nós aqui da L&PM, que mourejamos nesta área desde os anos 70 – e que tivemos que abandonar temporariamente o barco devido à profunda rejeição - estamos de volta já há algum tempo e com um extraordinário cardápio de lançamentos. Na Coleção L&PM POCKET, os quadrinhos já conquistaram milhares de novos leitores com títulos dos consagrados Garfield, Snoopy, Hagar, Dilbert e o timaço de autores brasileiros composto por Laerte, Angeli, Adão Iturrusgarai, Glauco, Edgar Vasques, Paulo Caruso, Mauricio de Sousa, Santiago entre outros. Todos por R$ 11,00.

Além do quadrinho em livros de bolso, a editora voltou a investir em grandes projetos, como Peanuts Completo, uma série em capa dura e acabamento luxuoso que publicará todo o magnífico trabalho de Charles Schulz. Já foram editados 4 volumes e o quinto sai em março. Publicamos também belas adaptações a cores das histórias de Agatha Christie, o clássico pacifista Valsa com Bashir, cuja versão em animação foi finalista ao Oscar de melhor filme estrangeiro em 2010 e iniciamos a publicar a festejada série afro-francesa Aya de Margarite Abouet, que trata da vida dos jovens nos países africanos. Recomeçamos também a publicar álbuns para adultos como o clássico Erma Jaguar do craque do desenho erótico Alex Varenne.

Como estamos livres para publicar o que de melhor se faz no mundo e para recomendar às escolas que usem e abusem das histórias em quadrinhos (já que não é mais pecado), um dos grandes destaques da programação de HQ da L&PM Editores é sem dúvida a série de Clássicos da literatura em quadrinhos. Um coleção espetacular feita por roteiristas e desenhistas belgas e franceses, publicada originalmente pela Editora Glénat com o apoio da UNESCO, órgão cultural da ONU que só chancela projetos de alto valor pedagógico. Estes livros possuem, além da história em quadrinhos a cores, um “dossier” que traça um rico painel sobre o livro, o autor, sua vida e seu tempo. Já foram lançados Volta ao mundo em 80 dias de Júlio Verne, A Ilha do Tesouro de Robert Louis Stevenson, Um conto de Natal de Charles Dickens, Dom Quixote de Miguel de Cervantes, Odisseia de Homero e Robinson Crusoé de Daniel Defoe. Deverão sair nos próximos meses Guerra e Paz de Leon Tolstoi e Os miseráveis de Victor Hugo.

Mangás

Mas a grande novidade de 2011 foi a nossa entrada no mundo dos mangás. Iniciamos com os dois volumes de Solanin de Inio Asano e Aventuras de menino de Mitsuru Adashi, os três livros disponíveis nos mais de 2 mil pontos de venda da coleção L&PM Pocket pelo Brasil inteiro. Com a colaboração e a consultoria do tradutor e especialista em mangás Alexandre Boide, a L&PM está preparando novos títulos para 2012.

Enfim, a editora está definitivamente retomando uma de suas vocações que sempre foi a de editar HQs. E a prova disso é que, justamente o primeiro título da L&PM Editores, foi um livro de quadrinhos: Rango 1 de Edgar Vasques. (Ivan Pinheiro Machado)

A Ilha do Tesouro para todos os públicos

quinta-feira, 17 novembro 2011

A Ilha do Tesouro acaba de ser lançado em uma bela edição com capa dura na série Clássicos da Literatura em Quadrinhos. Escrito em 1883 por Robert Louis Stevenson, o livro conta a história do jovem Jim Hawkins que, ao encontrar o mapa do Capitão Flint, sai à caça do tesouro dos piratas. Uma história que já foi adaptada para o cinema e para a televisão pelo menos 25 vezes. A primeira produção que se tem notícia na TV é uma série de 26 episódios, produzida em 1955 com o nome de “The Adventures of Long John Silver” (o pirata Long John Silver é um dos personagens principais da história). Na grande tela, a obra de Robert Louis Stevenson foi adaptada pela primeira vez em 1918 para o cinema mudo. Em 1934, veio a primeira versão para o cinema falado. Entre as produções seguintes, o destaque é o filme de 1972 que apresentava Orson Welles no papel de Long John Silver.

Orson Welles na versão pirata da perna de pau

Este ano, mais dois filmes de A Ilha do Tesouro começaram a ser produzidos e uma nova minissérie estreia na TV,  no canal inglês Sky1, em 25 de dezembro. A minissérie “Treasure Island” é uma superprodução que traz no elenco nomes como Elijah Wood (o Frodo de O Senhor dos Anéis) e Donald Sutherland na pele do Capitão Flint. Ela tem dois episódios de 120 minutos que provavelmente serão exibidos pelo mercado internacional com quatro episódios de uma hora de duração.

O elenco da nova minissérie de "A Ilha do Tesouro" que estreia no dia de Natal na Inglaterra (clique para ampliar)

Infelizmente, “Treasure Island” ainda não tem previsão de quando será exibida no Brasil. Mas os livros da L&PM estão aí, em pocket e agora em quadrinhos, para você ir conhecendo esta incrível história que foi a primeira da literatura a mostrar um mapa do tesouro (marcado com um X) e um pirata com a perna de pau e um papagaio no ombro.