Posts Tagged ‘Sérgio Capparelli’

Peça baseada em livro de Sérgio Capparelli ganha prêmio em São Paulo

sexta-feira, 12 setembro 2014

Vovô Fugiu de Casa é uma história de amizade, solidariedade, compreensão e carinho. Neste livro, Sérgio Capparelli mescla sonho e realidade em uma narrativa cheia de aventura, que acontece quando um garoto e seu avô resolvem embarcar em uma fuga delirante quando a família decide internar o avô em um asilo.

vovo_fugiu_de_casa

O livro foi adaptado para o teatro pela Cia. Dom Caixote, de São Paulo e recebeu no último dia 10 de setembro o Troféu Arlequim por ter sido considerada a melhor peça de teatro infantil do V Festival de Teatro Cidade de São Paulo de 2014. Além do Troféu, a peça recebeu também prêmios por melhor produção, melhor ator, melhor espetáculo, melhor direção, melhor cenografia e melhor figurino.

Capparelli_vovoPeca

Sérgio Capparelli e a equipe da peça premiada

A peça “Vovô Fugiu de Casa” começa nova temporada em São Paulo no dia 20 de setembro no Teatro União Cultura (Rua Mário Amaral, 209, Paraíso. Telefone: 2148-2904) e fica em cartaz até 19 de outubro com apresentações aos sábados e domingos.

Pegue carona em uma poesia de bicicleta

terça-feira, 19 agosto 2014

Poesia de bicicleta, de Sergio Capparelli, é um livro em que os poemas passeiam pelas páginas como se estivessem pedalando por entre alamedas floridas. O primeiro deles, “A bicicleta de Irina Dunn” presta uma homenagem à feminista australiana que disse certa vez que a mulher precisa dos homens tal como um peixe precisa de bicicleta.

poesia.de.bicicleta.revisado.6maio.indd

Clique para ampliar

 

Começou a 51ª Feira do Livro Infantil de Bolonha

segunda-feira, 24 março 2014

Começa hoje, dia 24 de março, a Feira do Livro Infantil de Bolonha, na Itália, a mais importante do mundo no segmento de livros infantis e infanto-juvenis, que tem, este ano, o Brasil como país homenageado. A feira é uma tradição entre editores do mundo inteiro que querem mostrar ou encontrar as melhores histórias e ilustrações dedicadas às crianças.

Um dos títulos que circulam no catálogo oficial do evento é A casa de Euclides, de Sérgio Capparelli, lançado no fim do ano passado pela L&PM.

capa_casa.de.euclides_24.06.2013.indd

No espaço especial reservado ao Brasil estarão expostos o trabalho de 55 ilustradores brasileiros na mostra Incontáveis Linhas, Incontáveis Histórias. Ziraldo será um dos autores homenageados, junto com o ilustrador Roger Mello. A ilustração da capa do catálogo é assinada por Ciça Fitipaldi.

A escritora Paula Taitelbaum também foi a Bolonha para participar da Feira, levando consigo seu livro de estreia na literatura infantil, Palavra vai, palavra vem (L&PM Editores). Ela nos mandou algumas imagens do primeiro dia do evento:

bolonha3

Visitantes olham os originais de ilustradores brasileiros que estão em destaque na Feira.

bolonha1

Os ilustradores de todo o mundo podem exibir mostras de seus trabalhos e deixar seu cartão de visita. O mural é livre, não precisa pedir permissão. Há varias dessas paredes pela feira. Aqui a ilustração é a grande estrela da festa.

bolonha2

Martha Suplicy discursou em italiano na abertura da feira em que o Brasil é o pais homenageado.

A Bologna Children’s Book Fair 2014, que começa hoje, segue até o dia 27 de março.

“A casa de Euclides” em Bolonha

segunda-feira, 17 março 2014

O livro A casa de Euclides, de Sérgio Capparelli com ilustrações de Ana Gruszynski, está no catálogo oficial da Feira do Livro Infantil de Bolonha (Bologna Children’s Book Fair 2014), a maior e mais importante feira de livros infantis e juvenis do mundo.

capa_casa.de.euclides_24.06.2013.indd

Em A casa de Euclides, a matemática e a geometria deixam de ser aquela matéria chata e temida por todos para virar algo divertido, acessível e extremamente interessante. A engenhosidade das ideias e criações euclidianas é combinada com a leveza e a graça da poesia, numa experiência lúdica e repleta de prazer. São exploradas a natureza das formas geométricas e suas associações com coisas da nossa vida cotidiana – inclusive em alguns poemas visuais. Em outras palavras: Euclides olhou para o mundo e viu que tudo o que existia nele tinha algum tipo de forma e inventou os conceitos de quadrado, círculo, triângulo e muitos outros; veio o poeta Sergio Capparelli e juntou tudo isso com poesia.

Este ano, o Brasil é o convidado de honra na Bolonha Children’s Book Fair 2014, que acontece de 24 a 27 de março na cidade de Bolonha, na Itália, e terá um espaço especial onde serão expostos os trabalhos de 55 ilustradores brasileiros na mostra Incontáveis Linhas, Incontáveis Histórias. Ziraldo será um dos autores homenageados, junto com o ilustrador Roger Mello. A ilustração da capa do catálogo é assinada por Ciça Fitipaldi.

bolonha

(clique para baixar o catálogo completo)

 

 

Os cantos de Capparelli em destaque

segunda-feira, 24 fevereiro 2014

O Menino Levado ao Céu pela Andorinha é um livro que merece destaque. Não apenas por seu conteúdo – recheado de cantos e poemas de diferentes povos indígenas das Américas – como também pela sua belíssima forma com ilustrações de Eduardo Uchôa. O escritor Sérgio Capparelli foi responsável por selecionar e traduzir os cantos tribais. Ele conversou com o repórter Alexandre Lucchese, do Segundo Caderno do Jornal Zero Hora, sobre este trabalho e a matéria, publicada nesta segunda-feira, 24 de fevereiro, pode ser lida abaixo:

Clique sobre a imagem para ler a matéria

Clique sobre a imagem para ler a matéria

 

Euclides está em casa

terça-feira, 20 agosto 2013

Euclides viveu há cerca de 2.300 anos na Grécia e foi quem lançou as bases da geometria. Coincidentemente, ele está em dois livros que acabam de chegar na casa. O primeiro é o infantojuvenil A casa de Euclides em que Sergio Capparelli, acompanhado de ilustrações de Ana Gruszynski, explora em versos a natureza das formas geométricas:

Festa na casa de Euclides

O triângulo escaleno
Tirou a linha para dançar.
Pra quê? Foi o sinal
Para o baile começar.

Com dois catetos,
A hipotenusa e a bissetriz
Dançaram, dançaram
E no fim pediram bis.

Vinte quadriláteros
Desengonçados
Entraram em fila
Para uma quadrilha.

Tangentes tangiam,
Secantes secavam,
Pentágonos espiavam,
Cilindros corriam.

Orquestra animada,
Até o nascer do dia:
Um baile jamais visto
No país da geometria.

O outro livro é A Teoria da Relatividade, em que Albert Einstein explica para leigos os princípios básicos da sua mais famosa teoria, e cita Euclides logo no início do primeiro capítulo:

É bem provável que na escola o caro leitor ou leitora tenha travado conhecimento com o imponente edifício que é a geometria de Euclides e que se lembre, talvez com mais respeito do que afeição, das inúmeras horas gastas sob a tutela de professores conscienciosos na ascensão das altas escadarias desse imponente prédio.

"Euclid of Megare", pintura de Justus of Ghent, datada de cerca de 1474

“Euclid of Megare”, pintura de Justus of Ghent, datada de cerca de 1474

Poemas chineses

terça-feira, 20 novembro 2012

Por Luiz Antonio de Assis Brasil*

Quem lê jornal e se detém numa coluna de crônica, é porque tem experiência de leitura e possui muito conhecimento acumulado. Seu imaginário acerca da China, por exemplo, não se deixa seduzir por ideias feitas, como Mao-Tsé-Tung ou o catálogo de produtos industrializados que inundam nossas lojas e supermercados. Esse leitor já sabe que a China possui uma antiquíssima e invejável cultura, representada nas artes plásticas, na música, na arquitetura, no teatro e na poesia.

Tomando esses dados como autênticos, não cabe repetir que a poesia chinesa tradicional possui temas que em que está, por excelência e relevância, a natureza. É de Li Bai (701-762, na datação ocidental) o Diálogo sobre a montanha: Há quem pergunte / por que vivo / nestas verdes colinas. / Sem responder, sorrio, / de coração sereno, / enquanto as flores de pessegueiro / flutuam na água. / Tudo vai embora, tudo se apaga. / Aqui é outra, a terra, / e outro, o céu. / Nada parecido / com o mundo dos humanos / lá embaixo. Este poema, e outros do mesmo autor e, ainda, de Du Fu (712-770) e Wang Wei (701-761) foram reunidos no livro Poemas Clássicos Chineses, L&PM Pocket, com tradução e organização de Sérgio Capparelli (sim, o nosso estimado e premiado escritor de obras infantis, mas não só) e Sun Yuqi. Na abertura há um curto, mas cabal ensaio de Leonardo Fróes, recomendável a quem não está familiarizado com a poesia da China.

Não será possível, por óbvio, estabelecer qualquer juízo sobre a acuidade do trabalho da tradução, mas confiamos plenamente nos nomes da capa. Algo que chama atenção, em particular, é a extrema síntese linguística dos caracteres chineses, visível quando comparamos o original nas páginas pares com a respectiva tradução nas páginas ímpares. Os poetas chineses precisavam de apenas quatro linhas, quando precisamos do dobro, pelo menos. Nada de novo.

Mas voltando ao tema da natureza. Observe-se o refinamento deste poema do aristocrata Wang Wei, também músico e pintor: Pássaros / alçando voo. / Montanhas / que se repetem, / sempre, / na cor do outono… / Ando de um lado para o outro / no monte florido: / até quando / essa melancolia?

Quer-se dizer: enquanto, no mesmo período, os aristocratas ocidentais, sem nenhuma melancolia, matavam-se em batalhas cruentas, Wang Wei escrevia um poema sobre montes floridos. Algo a pensar. Mas, antes, é bom ler o livro por inteiro.

*Luiz Antonio de Assis Brasil acaba de lançar Figura na sombra. Esta crônica foi publicada originalmente no Segundo Caderno do Jornal Zero Hora em 19 de novembro de 2012.

Sérgio Capparelli é homenageado na Feira de Bolonha

sexta-feira, 17 fevereiro 2012

Sérgio Capparelli, autor de Os meninos da Rua da Praia111 poemas para crianças, é o homenageado deste ano na Feira do Livro de Bolonha, na Itália, um dos eventos sobre livros infantis mais importantes do mundo. A honraria é um oferecimento da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil da Itália (FNLIJ), que divulgou nesta semana as obras selecionadas para o catálogo da entidade. Capparelli, que é mineiro, mas fez toda a sua carreira literária no Rio Grande do Sul, teve seu livro A lua dentro do coco incluído na seleta Lista de Honra da FNLIJ. Outra brasileira que ganhou destaque no evento é a gaúcha Lygia Bojunga, que comemora 30 anos de carreira este ano.

Capparelli nasceu em Minas, fez carreira no RS e hoje mora na China

Não há dúvidas de que a homenagem ao grande Capparelli na Feira do Livro de Bolonha é mais do que merecida. Além da literatura infantil, Sérgio Capparelli é um grande conhecedor da literatura chinesa e organizou, em parceria com Márcia Schmaltz, os livros Contos sobrenaturais chineses e Fábulas da China fabulosa. Para abril, está prevista a chegada do livro Poemas clássicos chineses, organizado por ele e Sun Yuqi.

Além de Capparelli, a L&PM marca presença com outro autor: A. S. Franchini, que teve o seu As 100 melhores lendas do folclore brasileiro entre os escolhidos para compor o catálogo da FNLIJ.

Unidunitê salamê minguê, um presente colorete, o escolhido foi você!

quinta-feira, 6 outubro 2011

Você ainda não comprou os presentes do Dia da Criança? Não vai esquecer do sobrinho, da afilhada, do filho do amigo, do enteado… Só pra lembrar: roupa não é o presente preferido da galerinha. Vídeo game, bicicleta e essas coisas mais caras é melhor deixar pro Natal (que, logo, logo, vai dar o ar da sua graça). Então… que tal um livro? Ele pode ser uma grata surpresa para as crianças que gostam de ler e um ótimo estímulo para as que ainda não descobriram o mundo das letras. A gente tem diferentes dicas para diferentes tipos de crianças. Dá só uma olhada:

Os verdadeiros contos de fadas: Sabe aquele personagem malvado que aparece no filme Shrek Para Sempre, o Rumpelstiltskin? Pois a história dele é um dos Contos de Grimm que está neste livro da Coleção L&PM Pocket. O volume 1, A bela adormecida e outras histórias, traz 32 contos, todos originais (isso quer dizer que eles não têm a mão da Disney para atrapalhar). Um ótimo presente para crianças curiosas que já dormem de luz apagada à noite.

O menino que não queria crescer: A criança que você vai presentear já está na fase dos livros mais longos, na idade limite entre a infância e a adolescência? Então está na hora de dar a verdadeira história de Peter Pan pra ela. O Peter Pan da Coleção L&PM Pocket ganhou uma nova e excelente tradução de Rodrigo Breunig que começa assim “Todas as crianças crescem, exceto uma. Elas logo descobrem que vão crescer…”

Que puxa, que ideia legal!: Impossível encontrar uma criança no mundo que não se identifique com algum personagem da Turma do Charlie Brown. Só para você comprovar isso, em Snoopy e sua turma, Marcie discursa em sala de aula: “Um metro é igual a 100 centímetros. Um decímetro é igual a 100 milímetros. Uma jarda é igual a três pés… um palmo é igual a três polegadas… E um dia escolar é igual a 100 anos! Lamento, senhora, não pude evitar essa observação.” diz ela para à professora.

Um presente smurferdivertido: Os Smurfs estão na moda. Com o sucesso do filme (recorde de bilheteria!), eles voltaram a habitar os corações de crianças no mundo inteiro. O Smurf repórter e O bebê Smurf são os dois títulos que agora fazem parte do catálogo nos formatos álbum ou pocket. Para crianças ligadas em cinema, para as que amam a cor azul e para as que estão e a fim de aprender o idioma smurfês. Smurfentendeu como deixar uma criança smurfeliz?

A turma mais popular do Brasil: Turma da Mônica é clássico. Sua geração leu e a nova geração continua lendo. Só que muitas crianças não sabem que não é só de gibi colorido que vive essa turma. Mônica, Cebolinha, Cascão, Magali e Bidu nasceram em tirinhas e não em quadrinhos. A Caixa Especial Turma da Mônica reúne cinco diferentes títulos em pocket com tirinhas de Mauricio de Sousa que eram publicadas lá no início da década de 60. Um presente cinco vezes mais legal.

Uma viagem até a China: Que tal trocar o brinquedo “made in China” pelos Contos sobrenaturais chineses? Este livro é lindo, colorido, cheio de ilustrações e traz 25 histórias maravilhosas como “O homem que queria ser peixe”, “A história da lua”, “A origem do bicho-da-seda” e “Vende-se um fantasma”. São contos traduzidos do chinês por Márcia Schmaltz e Sérgio Capparelli.

Rimas ricas: “O Zigue e o Zague / Não sabiam a direção. / É por aqui? / Por aqui, não! / E sumiram no horizonte, / Sem chegar à conclusão.”. Esse é apenas um dos belos poemas de Sérgio Capparelli que estão reunidos em 111 poemas para crianças, livro que traz uma surpresa visual em cada página. Para crianças que são cibernéticas sem deixar de ser poéticas. E que já estão na idade de aprender o valor de uma boa rima.

Era uma vez uma lenda brasileira: Não sabe o que dar de presente para aquele seu sobrinho que queria ter nascido índio? Achou! A dica é As 100 lendas melhores do folclore brasileiro. Um livro que também é perfeito pra incentivar os pequenos a valorizarem “as coisas nossas”. Mas caso ele prefira mais os gregos do que os indígenas, tem também Deuses, heróis e monstros, livro que traz histórias da mitologia grega para crianças.

Férias poéticas

quinta-feira, 23 dezembro 2010

As férias escolares finalmente começaram!

É tempo de piscina, amigos, praia, diversão e… livros, é claro! Nada de ficar três meses longe das letras só porque o ano letivo chegou ao fim. Este, aliás, é o melhor momento do ano para mostrar para a criançada que leitura também pode dar muito prazer.

Prova disso são as poesias do Sérgio Capparelli reunidas no livro 111 poemas para crianças. Quer conferir? Então dá uma olhada em De muito longe, apenas um dos 111 deliciosos poemas que recheiam as páginas do livro.