Posts Tagged ‘Noite de Reis’

Shakespeare na boca do povo

quarta-feira, 6 fevereiro 2013

Shakespeare é pop. Muito pop. Não só porque suas histórias são conhecidas no mundo inteiro – e porque Romeu e Julieta virou nome de queijo com goiabada -, mas também pelo fato de que muitas das expressões que estão na boca do povo foram inventadas por ele. “Isso parece grego pra mim”, “Mais pra lá do que pra cá”, “Sem pregar o olho”, “Dias melhores virão”, “O próprio diabo encarnado” são expressões shakespearianas ditas por seus personagens. Sem contar aquelas que são o próprio nome de livros como “Medida por medida” e “Bem está o que bem acaba”. Não bastasse isso, ele criou 1.700 novas palavras que hoje fazem parte do vocabulário mundial. Alguns exemplos são Advertising (Publicidade), Bandit (Bandido), Champion (Campeão), Generous (Generoso), Obscene (Obsceno), Torture (Tortura) e Zany (Bobo). 

Veja aqui alguns exemplos de expressões criadas por Shakespeare e descubra em que livros elas estão:

Meu reino por um cavalo! (Ricardo III)

Nem tudo o que reluz é ouro. (O mercador de Veneza)

Há mais coisa entre o céu e a terra do que sonha a nossa vã filosofia. (Hamlet)

O resto é silêncio… (Hamlet)

O que não tem remédio, remediado está. (Otelo)

Prudência! Quem mais corre, mais tropeça! (Trabalhos de amor perdidos)

Há algo de podre no reino da Dinamarca. (Hamlet)

A mulher é um prato para os deuses, quando não é o demônio que a prepara. (Antonio e Cleópatra)

Morrer…dormir… talvez sonhar. (Hamlet)

O bem que os homens fazem quase sempre é enterrado com seus ossos… (Julio César)

Colocar o carro na frente dos bois. (Ricardo III)

O ciúmes é um monstro de olhos verdes. (Otelo)

Você pode conhecer mais citações de Shakespeare no livro Shakespeare de A a Z. A Coleção L&PM Pocket publica 22 peças assinadas por ele e com traduções primorosas feitas por mestres como Millôr Fernandes e Beatriz Viégas-Faria: Medida por medida, Hamlet, O Rei Lear, A megera domada, Romeu e Julieta, Otelo, Macbeth, Ricardo III, Antonio e Cleópatra, Julio César, Como gostais / Conto de inverno, Tito Andrônico, Bem está o que bem acaba, O mercador de Veneza, Henrique V, A tempestade, Trabalhos de amor perdidos, Sonho de uma noite de verão, Noite de reis, Muito barulho por nada, A comédia dos erros e As alegres matronas de Windsor.

Três reis magos e o soberano do teatro

sexta-feira, 6 janeiro 2012

6 de janeiro é conhecido como Dia de Reis, celebrado pelos cristãos como a data da chegada de “alguns magos do Oriente” ao local do nascimento do menino Jesus. Reza a lenda que os reis Baltasar, Gaspar e Belchior chegaram em plena madrugada (Noite de Reis) trazendo mirra, incenso e ouro de presente ao recém-nascido. A data também marca o fim dos festejos natalinos: é hora de desmontar o pinheirinho, guardar os enfeites e dar férias para o Papai Noel. Na Inglaterra, o dia 6 de janeiro é tão importante que virou até feriado e inspirou William Shakespeare a escrever a comédia Noite de Reis, cujo título original é Twelfth Night, uma alusão à décima segunda noite depois do Natal.

Divertimento era a palavra de ordem na Inglaterra de Shakespeare. Talvez por isso suas comédias faziam tanto sucesso. Em Noite de Reis, um grupo arma uma cilada para tirar uma onda com a cara de Malvólio, já que ele não sabe se divertir e muito menos aceitar a diversão dos outros. No prefácio do livro, a tradutora Beatriz Viéga-Farias alerta que a brincadeira armada para “obrigar” Malvólio a se divertir pode nos causar certo estranhamento: “aos nossos olhos, acostumados ao ‘politicamente correto’ deste século XXI, pode parecer cruel demais – mas esta é uma peça escrita na primeira década do século XVII, quando então amarrar um urso vivo a um poste e soltar cachorros ferozes contra ele era um entretenimento popular”.

E como não podia faltar numa peça de Shakespeare, há também amores não correspondidos, afetos impossíveis e identidades falseadas. Mais ou menos assim: Olívia está de luto pela morte do irmão, mas seu mundo volta a ter cor quando ela conhece Cesário – que na verdade é Viola disfarçada de homem. Sem saber do disfarce, Olívia se apaixona, mas Cesário, sendo Viola, se interessa por Orsino, que, por sua vez, usa Cesário para se aproximar de Olívia. E pra completar a quadrilha, surge Sebastião, o irmão gêmeo de Viola, aquela que se traveste de Cesário e por aí vai… Só lendo a peça pra saber como isso termina!

Além de Noite de Reis, a L&PM publica outras 20 peças de William Shakespeare na Coleção L&PM Pocket.