As canções inspiradas em Billy the Kid

“O encontro estava marcado para a hora do nascer da lua. Quando o cavalo deslizou pela ribanceira, derrubando moitas e arbustos retorcidos, os primeiros raios de um luar amarelado refletiam-se na correnteza serena do rio Pecos como os pedaços de um espelho partido. O homem que usava a estrela desmontou, caminhou pela areia branca da margem e olhou ao redor. Cactos lançavam uma estranha sombra ao solo. O vento cálido do verão soprava de montanhas distantes. O homem tinha as espáduas largas e vestia um traje negro. Era alto, quase 1,95m. Dois revólveres Colt 44 lhe pendiam da cintura. O rifle Winchester estava na bainha da sela. Seus olhos brilhavam insondáveis acima do bigode de “matador” (…)”

Assim começa a introdução de Eduardo Bueno para Billy the Kid, livro narrado por Pat Garrett. Pat, antigo companheiro de Billy, virou xerife e, com uma estrela no peito e dois revólveres em punho, caçou e duelou com o ex-amigo, considerado o “mais temido e sanguinário desperado do sudoeste dos Estados Unidos, cuja cabeça estava a prêmio há mais de dois anos”. O duelo mortal (e real) entre Pat Garret e Billy the Kid é, sem dúvida, a mais célebre história de um bandido do velho Oeste. Além de livro, Billy the Kid virou lenda, transformou-se em cult e foi filmado por grandes diretores. Em 1973,  Sam Peckinpah dirigiu “Pat Garret & Billy the Kid” que tem trilha sonora e participação especial de Bob Dylan no elenco (veja aqui o trailer). Mas Bob Dylan não foi o único a se inspirar nesta incrível história. Antes e depois dele, outros músicos narraram Billy the Kid em suas canções. Separamos aqui algumas delas.

Woody Guthrie, cantor e compositor folk, é um dos ídolos de Bob Dylan. Nos anos 1940, Woody foi o primeiro a cantar Billy the Kid em uma guitarra onde estava escrita a frase “essa máquina mata fascistas”:

Em 2009, o rapper holandês Keizer fez a sua versão de Billy the Kid. Imagine se o pessoal do velho Oeste ouvisse isso:

Tom Petty (que já tocou com Bob Dylan) não resistiu à tentação e também escreveu e cantou o seu Billy the Kid que está no álbum Echo, de 1999:

Para terminar, aqui está a música tema que Bob Dylan compôs para o filme “Pat Garret & Billy the Kid”. Esta é faixa instrumental, mas a trilha do filme traz outras canções com letras que contam toda história da dupla, entre elas, as chamadas Billy 1, Billy 2, Billy 3 e Billy 4:

Tags: , , , , , , , ,

  1. manuel disse:

    É mesmo estranho como um bandido o billy the kid pode se transformar em um herói ao longo do tempo sendo quase sempre a todo momento sendo prestigiado em todo o mundo e principalmente em sua terra natal EUA como sendo um herói nacional o que de fato ele não foi. Formidavel.

  2. Não acho estranho! Seria estranho se a madre tereza ou a irmã dulce se transformassem numa heroina ou referência a cultura do “velho oeste” que exestiu e teve participação efetiva no modelo da sociedade americana atual. Falando nisso, Lampião…

  3. Samuel Ritter disse:

    O Bon Jovi fez a música Blaze of Glory, a qual foi trilha sonora do filme “Jovem demais para morrer” (pelo menos é como ele foi traduzido no Brasil), que tinha Emílio Estevez como Billy. Ótima música!!

Envie seu comentário

* Campos obrigatórios