A imperdível exposição “Magliani – A Solidão do Corpo”

Abriu ao público nesta quarta-feira, 29 de maio, em Porto Alegre, a exposição Magliani – A Solidão do Corpo. A mostra, com curadoria de Renato Rosa, reúne pinturas, gravuras, desenhos e esculturas da artista plástica Maria Lídia Magliani, realizadas desde os anos 1960. Há também fotografias de um ensaio com a artista assinado por Luiz Carlos Felizardo. A exposição é uma homenagem à pintora e desenhista que faleceu em 2012.  Renato Rosa nos enviou um texto que compartilhamos aqui:

Atendendo a um convite-pedido do Secretário da Cultura de Porto Alegre, senhor Roque Jacoby, fui convidado para ser o curador da mostra e a realização se dá através da Coordenação de Artes Plásticas do Município, sob o comando da artista plástica Anete Abarno e equipe. No primeiro momento de idealização dessa mostra-homenagem à Magliani, pensei imediatamente em alguns nomes e, de pronto, lembrei que o fotógrafo Luiz Carlos Felizardo havia feito um ensaio com ela, nas ruínas do antigo Colégio Anchieta e que isso, hoje, seria um ítem talvez esquecido na totalidade da obra do prestigiado artista, e que este mesmo ensaio, para ser publicado, em 1971 no jornal “O Pato Macho”, sofrera censura. “O Pato Macho” era um jornal alternativo que abrigava nomes como os jornalistas Renato D´Arrigo, Cói Lopes de Almeida e Luis Fernando Verissimo, cuja programação visual (dizia-se assim) era do Signovo, algo avançado para época, um escritório de programação visual, design, logotipias, etc, sob o comando de Cláudio Ferlauto e o Felizardo já estava nessa equipe. Como o Felizardo concordou em participar da homenagem e a Magliani teve um passado de atriz, fui em frente e convidei a atriz Izabel Ibias para realizar uma performance na noite de abertura (a qual abordará aspectos da condição feminina, ou seja, algo a ver com a temática dos trabalhos de Magliani). Avancei mais e reuni textos dos críticos Jacob Klintowitz e André Seffrin, da curadora Denise Mattar e depoimentos do dramaturgo Ivo Bender, e dos artistas visuais Eduardo Vieira da Cunha, dos artistas plásticos Julio Castro (colega de atelier de Magliani no Rio) e Teresa Poester, e ainda a colaboração especial do poeta Luiz de Miranda, com um poema.

Serão exibidos trabalhos desde os anos 1960 até a data de morte da artista, em 21 de dezembro de 2012. O trabalho mais antigo data de 1965 e os demais cobrem as décadas de 1970, 80, 90 e anos 2000, distribuídos entre pinturas, esculturas, desenhos, gravuras, esculturas e objetos.

Renato Rosa

Curador

 

magliani2

magliani3

Magliani por Felizardo

Magliani por Felizardo

Magliani por Felizardo

Magliani por Felizardo

SERVIÇO

O que: “Magliani – A Solidão do Corpo”
Quando: De segunda a sexta, das 9h às 12h, e das 13h30min às 18h, até 28 de junho.
Onde: Paço Municipal  – Pinacoteca Aldo Locatelli, Paço Municipal, Porto Alegre�
Quanto: Grátis

Tags: , , , ,

Envie seu comentário

* Campos obrigatórios