Posts Tagged ‘Hollywood’

Snoopy na calçada da fama

terça-feira, 3 novembro 2015

Snoopy ganhou na segunda-feira, 2 de novembro, sua estrela na Calçada da Fama, em Hollywood.

O beagle mais famoso do mundo, autor de frases famosas entre os fãs, como “acho que sou alérgico às manhãs”, inaugurou a placa de número 2.563, ao lado da de seu criador, Charles Schulz.

Isso aconteceu alguns dias antes da estreia do filme “Snoopy e Charlie Brown: Peanuts, o Filme” que chega às salas de cinema dos EUA no domingo, 8 de dezembro, e será exibido a partir de 10 de dezembro na América Latina, inclusive no Brasil. :-)

Snoopy_calcada_fama

US-ENTERTAINMENT-SNOOPY-PEANUTS-HOLLYWOOD WALK OF FAME

Snoopy está na L&PM. Veja aqui.

De Bollywood a Hollywood: um estranho no ninho

terça-feira, 13 setembro 2011

O mundo cinematográfico já aguarda a nova montagem de O grande Gatsby, o clássico de F. Scott Fitzgerald que está sendo filmado em Sidney sob a batuta do diretor australiano Baz Luhrmann (o mesmo de “Moulin Rouge” e “Austrália”). O burburinho se deve não só à montagem de um dos melhores textos da literatura ocidental, mas também à presença de Leonardo DiCaprio no elenco. A ironia, no entanto, é que o ator mais bem pago de Hollywood vai contracenar com Amitabh Bachchan, astro do cinema indiano que vai interpretar o personagem Meyer Wolfsheim de graça. Isso mesmo, de graça!

E vamos combinar: num filme com orçamento – nada modesto! – de 126 milhões de dólares, verba para pagar os atores não deve ser o problema. Bachchan, que é um dos atores mais conhecidos de Bollywood, revelou em seu blog que a participação não remunerada em O grande Gatsby é um favor ao diretor, que é também seu amigo. Mas vale lembrar que o papel for free no filme de Baz Luhrmann será sua estreia em Hollywood e, sendo assim, a atitude vai um pouco além do altruísmo e vira uma espécie de investimento na carreira.

Como o próprio Amitabh pergunta ao fim do post em que explica o caso, “what would you think… makes sense?”

O ator indiano Amitabh Bachchan vai viver o personagem Meyer Wolfsheim na nova montagem de "O grande Gatsby"

Esta é a quarta vez que O grande Gatsby é adaptado para o cinema e tem estreia prevista para 2012. Talvez a versão mais conhecida do clássico de Fitzgerald na telona seja a de 1974 com Robert Redofrd como Jay Gatsby e Mia Farrow no papel de Daisy.

Uma nova edição de O grande Gatsby acaba de sair na Coleção L&PM POCKET.

Odisseias de Filmagens

quarta-feira, 11 maio 2011

Por Goida*

O enunciado da obra assusta um pouco. Mark Harris se propõe a analisar a partir de cinco filmes que concorreram ao Oscar em 1967 – Bonnie and Clyde, No Calor da Noite, Adivinhe Quem Vem Para o Jantar, A Primeira Noite de um HomemO Fantástico Dr. Dolittle – o nascimento da nova Hollywood. Em mais de 400 páginas ele conta as fases de realização de cada uma destas produções. Apesar da limitação quase total ao quinteto citado, o livro nos fascina. As coisas não foram fáceis. Por exemplo, os trabalhos com o roteiro de Bonnie and Clyde começaram em 1962. Entre os diretores que foram contatados para realizarem a fita, apareceram até dois franceses, François Truffaut e Jean Luc Godard. Para se chegar ao até “tudo pronto” de A Primeira Noite de um Homem houve brigas, buscas intermináveis de intérpretes, o encontro e a aposta em Dustin Hoffman e muitas outras coisas mais. É com que se frise, Hollywood vivia uma época em que todos olhavam com um pouco de inveja o que estava vindo da Europa. Os filmes da “Nouvelle Vague” francesa. As obras-primas de Fellini, Visconti e Antonioni. O “Free Cinema” da Inglaterra, revelando nomes como Tony Richardson, Karel Reisz, John Schlesinger e Richard Lester. O novo mundo se curvava à velha cultura europeia. Mais ainda: filmes de baixo custo, libertários, revolucionários, sem nenhum problema com a censura. Hollywood ainda estava aprisionada ao código de produção da MPAA (Motion Picture Associaton of America), que cortava as asas de qualquer um que tentava fugir da gaiola.

Vindos de uma Nova York um pouco mais liberal começaram a se destacar em Los Angeles figuras como Mike Nichols e Arthur Penn. Stanley Kramer, produtor e diretor junto com alguns outros veteranos mais iluminados, queria fugir dos padrões superados e tirar o público da apatia reinante. Os cinco filmes recordados no livro de Harris não poderiam ser melhor escolhidos. As fases que passaram, até a estreia, são incrivelmente ricas em situações às vezes próximas ao ataque de nervos. Cenas de uma Revolução, ao narrar esta busca de um novo cinema, nos faz acompanhar verdadeiras odisseias. Contra os Ulisses de uma nova era, há de tudo para impedi-los chegarem até o sucesso. Sereias, gigantes de um olho só (os executivos presos à artificialidade do cinema de então) e outros tipos de monstros e obstáculos praticamente intransponíveis. Estas odisseias são repletas de casos e personagens variados. Destaco o capítulo onde Jane Fonda, vinda da Europa com Vadim, dá uma festança na sua casa beira mar, reunindo ao mesmo tempo a velha e a nova Hollywood. E a narrativa onde se conta a derradeira cena de Spencer Tracy para Adivinhe Quem Vem Para Jantar. Com a saúde em pandarecos, Spencer fez chorar todos que estavam no set. E a gente também, mesmo a distância, já que se sabe que Tracy morreu três dias depois.

Pois é, quase tudo assim. Um testemunhal vivo e rico sobre aquela fase de transição difícil. Você vai começar a leitura e só parar no “The End”.

* Goida é jornalista, pesquisador e autor, entre outros, de Enciclopédia dos quadrinhos que será relançado pela L&PM em setembro deste ano. Este texto foi especialmente escrito para o Blog L&PM.

Marilyn Monroe vem aí

quarta-feira, 5 janeiro 2011

2011 será o ano de Marilyn Monroe voltar à vida. A loira e seu olhar “de mormaço” vão reencarnar na atriz Michelle Williams, a protagonista de My Week with Marilyn, filme sobre a diva mais famosa e desejada de Hollywood. Ao jornal britânico The Daily Mail, Williams afirmou que sentia que ela e sua personagem estavam bastante unidas: “Em um determinado momento ficou complicado assumir o controle. Não tenho me sentido eu mesma nesses dias”, afirmou. Para viver a loiríssima, além de pintar e cachear os cabelos, a atriz precisou passar por aulas que ajudaram a entender como Marylin andava, falava e até mesmo pensava (?). My Week with Marilyn é baseado no diário de Colin Clark, jovem ator que trabalhou para Sir Laurence Olivier, enquanto ele rodava o filme “O príncipe e a corista” ao lado de Miss Monroe. Além de Williams, o elenco traz Kenneth Branagh no papel de Laurence Olivier, Julia Ormond como Vivien Leigh e a jovem Hermione, Emma Watson, como a figurinista Lucy. A previsão é de que o filme chegue aos cinemas no final de 2011. Antes disso, no entanto, uma boa notícia aos fãs da blonde: em março, um livro sobre a vida de Marilyn será lançado pela L&PM na Série Biografias. Aguarde!  

Michelle Williams será Marilyn Monroe