O sonho de consumo do tradutor de “On the road”

Foi ao entrar na famosa e tradicional livraria londrina Foyles que Eduardo Bueno, o tradutor de On the road, viu seu lado consumista ser consumido pelo desejo. Lá estava uma linha inteira de acessórios para quem quer colocar o pé na estrada junto com Jack Kerouac: agenda, capa de passaporte, garrafa térmica, caderno, eco bag, chaveiro, identificador de bagagem e necessaire de On the road.

Kit completo da Penguin para quem quer colocar o pé na estrada.

Obviamente, Eduardo não se conteve e comprou cinco dos itens oferecidos:

Eduardo Bueno e seus objetos de desejo.

Os objetos são um oferecimento da editora Penguin e ocupam um canto inteiro da Foyles, livraria que tem tudo a ver com o livro de Kerouac, já que tem a maior sessão de livros e de literatura de viagem do Reino Unido. A Foyles ocupa cinco andares de um prédio de tijolos à vista na Charing Cross Road, rua que foi eternizada no filme Nunca te vi, sempre te amei (cujo título original é 84 Charing Cross Road).

Mas é bom dizer que a rua e a região inteira sofreram o impacto da chegada dos e-books e as pequenas livrarias estão todas fechando suas portas. Felizmente, a Foyles persiste e resiste no mesmo endereço desde 1903, no número 121 e, em 2010, foi eleita a melhor livraria da Inglaterra. (Paula Taitelbaum, direto da Charing Cross Road)

Tags: , , , , , , , , , , , ,

  1. Carol Marquis disse:

    demais!
    Queria o caderninho, a caneca e a térmica!
    :)

  2. Suzana Sabino disse:

    Adorei!
    Queria a capa de passaporte, UHASUHSUHAS…
    Bem interessante. ;)

  3. Bruno disse:

    AE queria a capa de passaporte! :T

  4. paula disse:

    demais mesmo! poderia ter trazido pra revender, hein? hehe

  5. Carlos Souza disse:

    Só faltou uma cópia do consolo de borracha usado pelo Allen Ginsberg, com as cores branco e laranja. Não que eu queira usá-lo, longe disso!!!

    Agora falando sério, a edição original de “On the Road” não era numa capa preta?

Envie seu comentário

* Campos obrigatórios