O Marquês de Sade e seu castelo

Foi em 2 de junho de 1740, em Paris, que nasceu Donatien Alphonse François de Sade. A partir desse dia, com o passar dos anos, o Marquês de Sade, como ficaria conhecido, jamais se contentou em ser um mero nobre, muito menos um escritor como outro qualquer. Sem-vergonha, sem pudores e sem medo de ser feliz, ele colocou em prática todos os seus desejos. Como resultado, batizou um adjetivo: “sádico” e um substantivo: “sadismo”. E entrou para a história como um dos autores mais libertinos de todos os tempos. A simples menção de seu nome, ainda hoje, é capaz de despertar fantasias. Ou seja: o Marquês de Sade é pop.

Mas antes de se dedicar com força total à vida de “pura sacanagem”, Sade teve um currículo aparentemente comportado: estudou na Escola de Cavalaria Ligeira, foi subtenente do regimento de infantaria do rei, virou oficial e tornou-se capitão de cavalaria de Bourgogne. Mas preferiu largar tudo para cavalgar outros tipos de… bom, deixa pra lá.

Em 1774, depois de vários escândalos, alguns envolvendo prostitutas sodomizadas, ele acabou isolando-se no castelo da família, na pequena cidade de Lacoste, região da Provence francesa. Por estar no topo da colina, o chateau de Sade fazia com que ele ficasse observando a cidade (e talvez imaginando o que os pobres mortais estavam fazendo em suas alcovas). A imensa propriedade, com dezenas de quartos e cômodos, foi palco de inúmeras orgias – e quem sabe de algumas festas de aniversário. Abandonado, semi-destruído e cercado de mistérios, o castelo de Lacoste foi comprado, em 2001, pelo renomado estilista Pierre Cardin que então iniciou um projeto de restauração. A antiga casa de Sade permanece fechada ao público, mas algumas obras de arte ficam em exposição permanente ao ar livre. Só passear em volta dele, imaginando o que o Marquês aprontava por lá, já vale a visita. Então fica a dica para a sua próxima viagem.

Chegando em Lacoste já se vê o castelo do Marquês de Sade no alto da colina

As ruínas que já estão sendo restauradas, ainda escondem mistérios

A escultura surreal de Ettore Greco homenageia o Marquês de Sade

Mais uma escultura de Ettore Greco no castelo

Ao descer a colina, bom mesmo é aproveitar o Café de Sade, também de Pierre Cardin

Do Marquês de Sade, a L&PM publica Os crimes do amor e O marido complacente.

Tags: , , , , ,

  1. Grande – e controverso – Sade!

    PS: acho que a idade está errada, rs.

    • Paula Taitelbaum disse:

      Ops, foi um erro de digitação. Digitamos, sem querer, “740″ que era o final do ano em que ele nasceu “1740″. Corrigido para a idade certa: 271. Obrigada por avisar! Abraços

  2. Jaime Amaral disse:

    E dizer que Napoleão proibiu os seus soldados, sob pena de morte, de ler o Marquês de Sade.

Envie seu comentário

* Campos obrigatórios