O Natal começou como uma festa pagã

Quem não é cristão também tem motivos para comemorar o dia 25 de dezembro. Talvez a maioria das pessoas não saiba, mas a escolha deste dia para celebrar, trocar presentes e ser feliz está associada a antigas festas pagãs que começaram antes do nascimento de Jesus.

A Saturnália era uma festa romana em homenagem ao deus Saturno e acontecia de 17 a 24 de dezembro. Logo depois, os romanos tinham a Brumália que, no dia 25 de dezembro, celebrava o nascimento do deus-sol, já que, pro pessoal do hemisfério norte, a data coincidia com o solstício de inverno, dia “mais curto do ano”.

Nos dias 24 e 25 de dezembro, os persas também homenageavam seus deuses inspirados no sol. No dia que agora corresponde à nossa véspera de Natal, os persas queimavam a imagem de seu deus Agni, feita a partir de um tronco de árvore, e colocavam uma nova em seu lugar. Com o novo deus, os dias começavam a aumentar novamente porque, segundo supunham eles, o seu deus jovem estava cheio de vigor para produzir dias maiores.

Já a festa germânica pagã do solstício de inverno, a Yule, caracterizava-se pelos grandes banquetes, a folia, a troca de presentes e os enfeites em árvores. Segundo a “nova enciclopédia de conhecimento religioso de Schaff-Herzog”, o dia 25 teria sido escolhido para ser o nascimento de Jesus justamente porque já existiam muitas festas neste dia e nada melhor do que continuar com a alegria do povo.

No Jardim Botânico de Buenos Aires há uma escultura que representa a Saturnália, uma réplica da escultura de Ernesto Biond que está em Roma

Breve, a L&PM vai lançar a biografia de Jesus, onde é possível descobrir que, na verdade, ninguém sabe direito quando e como Cristo nasceu. Mas isso não importa… Amanhã de noite, motivos para festejar e dar livros de presente não vão faltar. Feliz Natal!

Tags: , , , , , , ,

  1. Rody Cáceres disse:

    Que bom que alguém resolveu desvelar isso! Todos os sites e blogs estão com a figura do Noel estampada, comemorando o espirito de Natal. QUE FARSA!

    Obviamente, não deixei de comprar presentes para os meus queridos, mas para mim o Natal serve apenas para esquentar mercado e potencializar o consumismo.

    Desculpem a franqueza.

    • Fernando K. disse:

      Rody, o Natal deixou de ser uma festa religiosa há muito tempo. Atualmente, o 25 de dezembro é apenas uma manifestação cultural quase mundial, potencializada pelo cinema ocidental e pelas campanhas de publicidade. Mesmo sabendo que a data é um construto da Igreja e uma farsa histórica, aproveito esse espírito de solidariedade e fraternidade para me aproximar da família e dos amigos. Dar e receber presentes seria um hábito saudável para o ano todo. Mas, como meu orçamento não permite, aproveito a data (com preços inflacionados, é claro) para fazer um agrado à família. Ademais, não há refeição mais farta e gostosa do que a ceia de Natal.

      Entre na farsa e aproveite o clima. Se fossemos fazer confusão com cada instituto social que adotamos involuntária e inconscientemente, não comemoraríamos nem mesmo o ano novo no dia 31/12. Afinal, o início do ano não passa de uma decisão do papa Gregório XIII em 1582.

      Feliz Saturnália a todos.

  2. [...] O Natal começou como uma festa pagã [L&PM]. [...]

Envie seu comentário

* Campos obrigatórios