Bloomsday: o único feriado do mundo que é dedicado a um livro

BLOOMSDAY

16 de junho é feriado na Irlanda. Batizado de Bloomsday, o dia é dedicado a Leopold Bloom, personagem criado por James Joyce  que habita as páginas de “Ulisses”, a mais famosa obra do escritor irlandês. Em “Ulisses”, Bloom vive sua Odisseia em apenas um dia: 16 de junho de 1904, enquanto caminha pela capital da Irlanda. Uma data tão emblemática que, desde o final dos anos 1920, os irlandeses a decretaram como feriado nacional e sempre preparam uma grande festa em Dublin.

O escritor James Joyce e o jornal com a data do Bloomsday: 16 de junho de 1904

O escritor James Joyce e o jornal com a data do Bloomsday: 16 de junho de 1904

Aqui no Brasil também tem comemoração no dia de hoje. Separamos alguns eventos que achamos interessantes. Se você souber de mais algum, é só avisar. ;-)

PORTO ALEGRE:

Local: Instituto Ling
Nome do evento: Bloomsday: Joyce era louco?
Horário: 19h30min com duração de 90 minutos
O que: A pergunta “James Joyce era louco?” foi feita pelo psicanalista francês Jacques Lacan em seu conhecido e divulgado Seminário 23. A partir dessa e de outras hipóteses, o escritor e tradutor de Joyce, Donaldo Schüler, lança o seu mais novo livro em Porto Alegre: “Joyce era louco?”. Schüler e as psicanalistas Laura Benites e Fernanda Bernd discutem os limites da loucura a partir da obra de James Joyce. O lançamento do livro será seguido de sessão de autógrafos. A entrada é franca, sujeita à lotação do espaço.Em paralelo e como prevê a tradição dessa festa literária que é o Bloomsday, a artista Elida Tessler estará ao longo de todo o dia 16 lendo o romance Ulysses no Instituto Ling.

SÃO PAULO:

Locais: Casa Guilherme de Almeida e Casa das Rosas
Nome do evento: 30º Bloomsday em São Paulo “Joyce, Lira e Delírio” – Por Marcelo Tápia e Ivan de Campos
Dia e Horário: 16/06 a partir das 18h e 17/06 a partir das 14h
Programação:
16/6
Casa Guilherme de Almeida – “Telêmaco e Circe”

O Bloomsday na Casa Guilherme de Almeida focalizará dois episódios de Ulysses: o primeiro do livro, “Telêmaco”, no qual há referência a um delírio, e o décimo quinto, “Circe”, escrito com a técnica da “alucinação”.

18h: Links diretos com o Bloomsday de Porto Alegre, com breve conversa com Donaldo Schüler, organizador do evento na capital gaúcha, e link direto com Dublin para conversa com Dirce Waltrick do Amarante e Sérgio Medeiros, organizadores do Bloomsday em Florianópolis.
18h30: Abertura, por Marcelo Tápia.
18h40: “Joyce e o cinema”: exibição do curta-metragem inédito Writers’ tears, realizado a partir de imagens de Dublin, por Marcelo Tápia e Donny Correia.
19h: Breve palestra de Donny Correia sobre o filme O retrato do artista quando jovem (1977), de Joseph Strick.
19h15: Leitura de um fragmento do capítulo inicial de Ulysses, por Ivan de Campos.
19h25: Leitura dramática de fragmento do capítulo inicial de Ulysses, com os atores Carlos Rahal e Neto Mahnic.
19h45: Leituras de fragmentos do episódio “Circe”, de Ulysses, em vários idiomas por Marcelo Tápia (português), Alzira Allegro (inglês), Aurora Bernardin (russo), Flávio Ricardo Vassoler (italiano), Simone Homem de Mello (alemão), Fares Saeb (hebraico), Tereza Jardini (espanhol), Sarolta Kobori (húngaro), João Eduardo Hidalgo (catalão), Chloé Bernabé di Rollo (francês), Yun Jung Im (coreano) e outros.
20h15: Link direto com performances do Bloomsday de Florianópolis, organizadas por Clelia Mello e alunos da UFSC.
20h25: Pocket-show com o cantor e compositor Cid Campos e o músico Felipe Ávila.
21h: Encerramento, com apresentação da banda de música irlandesa TUNAS, acompanhada de dança irlandesa, por Letícia Pires e convidadas.

17/6
Casa Guilherme de Almeida

14h às 18h: Oficina de tradução: Fragmentos do primeiro capítulo de Finnegans Wake

Por Daiane Oliveira, Larissa Lagos e Giovana Ursini
Depois de uma breve apresentação do primeiro capítulo de Finnegans Wake e da linguagem do romance de forma geral, a oficina demandará dos participantes um pequeno exercício de tradução: alguns fragmentos capítulo do livro serão traduzidos individualmente, no entanto, ao final, pretendemos ter apenas uma versão dos fragmentos traduzidos. Para se chegar a essa única versão da tradução, as ministrantes recorrerão à operação do acaso, à indeterminação, segundo o conceito do artista norte-americano John Cage.

Casa das Rosas – FORRÓ DO FINNICIUS
Na Casa das Rosas, a festança musical e dançante focalizará o romance Finnegans Wake, escrito em linguagem onírica.

18h: “Joyce era louco?” – Conferência do escritor e tradutor Donaldo Schüler.
19h: Leitura de fragmentos de Finnegans Wake por Marcelo Tápia, Donny Correia e Ivan de Campos.
19h15: Exibição de fragmento do filme Passages from James Joyce’s Finnegans Wake (1967), da diretora …
19h30: Breve workshop de dança irlandesa, por Letícia Pires e dançarinas convidadas.
19h45: Celebração festiva do Velório de Finnegan / Forró do Finnicius, com música e dança tradicional irlandesa, pela banda TUNAS e grupo de dançarinas.

BRASÍLIA:

Local: Sebinho Livraria, Café e Bistrô - CLN 406, Bloco C – Asa Norte
Nome do evento: 6ª edição do Bloomsday
Programação:

19h – Abertura com apresentação da Companhia de Dança Irlandesa Celtas do Cerrado
19h20 – Palestra do embaixador da Irlanda, Brian Glynn
19h40 – Comentários do jornalista Antônio Carlos Queiroz sobre cinema e literatura (Eisenstein & Joyce) com base em “Ithaca”, o penúltimo episódio de Ulysses
20h – Leitura dramática de trechos de “Ithaca” pela professora Michelle Alvarenga, da Universidade Católica, e pelo professor André Aires
20h20 – Leitura dramática de trechos do terceiro episódio “Proteus” por Jesse James
20h40 – Show musical da banda Clan C, com membros do Tanaman Dùl, junto com performance da Companhia de Dança Irlandesa Celtas do Cerrado

De James Joyce, a Coleção L&PM Pocket publica Dublinenses e Retrato do Artista Quando Jovem.

Tags: ,

Envie seu comentário

* Campos obrigatórios