Posts Tagged ‘Música perdida’

“Música perdida” encontra-se na França

segunda-feira, 1 abril 2013

Um pouquinho antes da Páscoa, o escritor Luiz Antonio de Assis Brasil nos enviou a versão francesa de seu romance Música Perdida (L&PM, 2006) que acaba de sair do forno parisiense da editora Le Temps des Cerises. Musique perdue é a terceira obra do escritor publicada na França, como ele nos contou por e-mail:

Este é o seu primeiro livro publicado na França ou já existem outros?
Luiz Antonio de Assis Brasil: Tenho três livros na França: O Homem Amoroso, Breviário das Terras do Brasil e, agora, Música Perdida (essas outras edições estrangeiras estão no meu website, inclusive com reprodução das capas.) 

Você chegou a participar do processo de edição?
LAAF: O processo de edição correu todo por conta das editoras, que, por vezes, mandavam um esboço das capas. Por sorte, tanto a diagramação quanto as capas saíram com boa qualidade, a mesma que a L&PM dedica às suas edições. Como, por enquanto, meus livros saíram em línguas que eu conheço, pude avaliar a fidelidade ao texto original. 

Pode nos contar como foi essa experiência e/ou quais são as tuas expectativas com essa publicação?
LAAF: É interessante: recebi há três dias o Musique Perdue, na tradução de Vincent Gorse. Li algumas páginas. Olha, o Vincent melhorou muito o original… Tenho, naturalmente, muito interesse acerca da recepção deste livro, que trata de uma cultura e de protagonistas tão diferentes da experiência europeia. Vejamos o que dizem os leitores gauleses.

"Musique perdue" e Música perdida", de Luiz Antonio de Assis Brasil

“Musique perdue” e Música perdida”, de Luiz Antonio de Assis Brasil

Vem aí um novo e imperdível romance de Luiz Antonio de Assis Brasil

quarta-feira, 25 abril 2012

De botânico de Napoleão a estanceiro na fronteira do Brasil com a Argentina: este é o protagonista do novo romance de Luiz Antonio de Assis Brasil

Luiz Antonio de Assis Brasil acaba de entregar à L&PM Figura na Sombra, o seu mais recente romance. É o quarto e último livro da série “Visitantes ao Sul”, do qual fazem parte O pintor de retratos (2001), A margem imóvel do rio (2003) e Música perdida (2006). Todos publicados pela L&PM Editores. São variações sobre um mesmo tema, mas leituras absolutamente independentes.

Figura na sombra é o romance de um francês, médico e botânico, testemunha da Revolução Francesa, que alcança as honras científicas mais desejadas por pesquisadores de quaisquer latitudes. Aimé Bonpland, personagem real, protagoniza uma história repleta de episódios, que o faz trilhar o mundo e, de botânico de Napoleão, amigo de Simon Bolívar, prisioneiro do ditador paraguaio Francia, passar a estanceiro em São Borja, na fronteira do Brasil com a Argentina. Mas a obra é, ao mesmo tempo, a história de dois homens – o outro é o célebre Alexander von Humboldt – que, por trilhas antagônicas, perseguem a harmonia da natureza. Um, iluminista, quer conhecê-la para sistematizá-la; o outro, romântico, deseja fundir-se nela. Que esses dois homens tenham sido os naturalistas mais famosos do século 19 é um pormenor, pois o tema do livro é o amor que, entrelaçado às vicissitudes e pautando a longa vida de Aimé Bonpland, comparece em variadas formas: amor à natureza, à razão, às ideias, às leis da ciência, à beleza; o amor erótico, platônico, fraterno. Por fim, o amor da aceitação, que se revela na entrega ao fluxo da vida, e cujas leis e regularidades não estão nunca inteiramente nas mãos de homem algum, nem dos mais sábios. Aimé Bonpland é essa figura na sombra que, hoje, é nome de uma cratera da Lua, de um asteroide, de um pico na Nova Zelândia, de uma rua em Buenos Aires, de um rio na Patagônia, de um liceu na França e de duas cidades na Argentina.

Um daguerrótipo antigo de Aimé Bonpland

Alexandre Humboldt em pintura de 1800

A previsão de lançamento de Figura na Sombra é agosto de 2012. Clique aqui e conheça outros livros do autor já publicados pela L&PM Editores.