Posts Tagged ‘Filha é filha’

Agatha Christie tinha outra por dentro

quarta-feira, 27 abril 2011

Agatha também era Mary. Não apenas Agatha Mary Clarissa Miller (que ao casar tornou-se “Christie”), mas também Mary Westmacott. Esse foi o pseudônimo escolhido para seus livros não policiais. Um nome que, aliás, Agatha nunca explicou exatamente de onde veio. O Mary é seu segundo nome. Mas e o Westmacott? Seria o sobrenome uma homenagem a Richard Westmacott, o famoso escultor britânico, autor do Vaso Waterloo que encontra-se no Palácio de Buckingham? Ela nunca deixou muito claro… Agatha escreveu seis romances sob esse pseudônimo (estreou como Mary em 1930), os primeiros livros sem que ninguém soubesse que era ela. Em sua autobiografia, a escritora falou sobre isso:

O que eu gostaria de fazer, agora, seria escrever um livro que não fosse policial. De modo que, com certo sentimento de culpa, diverti-me escrevendo um romance chamado Entre dois amores [Giant´s Bread]. Era sobretudo a respeito de música, e desvendava, aqui e ali, que eu possuía alguns conhecimentos técnicos no assunto. A crítica foi boa e vendeu-se razoavelmente para o que era considerado “primeiro livro”. Usava o pseudônimo de Mary Westmacott e ninguém sabia que o livro fora escrito por mim. Consegui conservar esse fato por 15 anos.

Escrevi outro livro sob o mesmo pseudônimo, um ou dois anos mais tarde, chamado Retrato inacabado  publicará este livro com o título de O retrato inacabado]. Só uma pessoa suspeitou de meu segredo: Nan Watts – agora Nan Kon. Nan possuía boa memória, e alguma frase que eu empregara acerca de umas crianças e um poema no primeiro livro atraíram sua atenção. Imediatamente disse para consigo “Tenho certeza de que foi Agatha quem escreveu isto.”

Um dia, cutucou-me as costelas e disse, num tom de voz levemente afetado: “Outro dia li um livro seu de que gostei muito; agora, deixe-me ver – como era mesmo o título? O Sangue dos amores, é isso, sim!” E piscou o olho para mim da maneira mais maliciosa. Quando a levei para casa, disse-lhe: “Conte-me agora – como foi que você descobriu a respeito de Entre dois amores?”

“É claro que eu sabia que foi você. Conheço sua maneira de falar”, disse Nan.

De tempos em tempos, eu escrevia canções, baladas sobretudo – mas não fazia a menor ideia de que teria a sorte estupenda de entrar em outro setor da arte literária inteiramente diferente e de que o iria fazer, ademais, numa idade em que já não é fácil empreender novas aventuras.

A Coleção L&PM Pocket publica todos os seis títulos de Agatha Christie como Mary Westmacott: Ausência da Primavera (um dos livros preferidos de Agatha sob o pseudônimo de Mary); Filha é filha (que, segundo sua única filha, Rosalind, foi baseado na relação entre ela e sua mãe); Retrato inacabado; O fardo; O conflito e Entre dois amores.

agatha_mary_todos