iPads na sala de aula

Nanni Rios
Direto da Campus Party*, em São Paulo

Na tarde desta quinta, no palco principal da Campus Party Brasil, profissionais da educação se reuniram para compartilhar suas experiências pedagógicas com cultura digital – e também para exibir resultados pra lá de animadores. Mas muito ainda precisa ser feito. O que os relatos dos educadores têm em comum é a necessidade de trazer tecnologia, games e gadgets para dentro da sala de aula, mas não só. É importante trazer também a cultura digital e suas noções de compartilhamento, remix, interação e criação colaborativa.

Educadores debatem experiências na cultura digital

Iniciativas como o Flatworld Knowledge (uma editora de livros didáticos que permite a criação de obras digitais derivadas) só vão ter espaço no Brasil quando a cultura digital for plenamente compreendida. Tecnicamente, é só querer. O Flatworld Knowledge funciona assim: um autor elabora um livro didático, que entra para o catálogo da editora, mas qualquer outro autor tem a liberdade de propor alterações sobre a obra original, criando, assim, obras derivadas. Os direitos autorais são divididos entre os criadores de acordo com a política da empresa. Assim, todo mundo sai ganhando: o autor que “criou” a obra, os autores secundários que terão em mãos uma obra customizada e adequada às suas necessidades, e os alunos que ganham material didático em sintonia com a sua realidade.

A ideia é que os livros didáticos da Flatworld sejam consumidos em formato digital por meio de e-readers como o iPad, por exemplo. E é aí que surge a necessidade de trazer estes gadgets para as escolas. Aqui no Brasil, já se fala até na possibilidade de desenvolver tablets mais baratos, com o objetivo de popularizar o produto. Mas a ideia de ter livros didáticos em formato digital ainda parece um pouco distante. Um dos principais entraves é a falta de preparo dos professores para trabalhar com o novo material. A hierarquia tradicional da sala de aula também impede que os mestres vejam seus alunos como parceiros de trabalho, que podem construir juntos e de forma colaborativa uma nova forma de aprender unindo técnica e conhecimento. Mais de 400 universidades nos Estados Unidos utilizam e recriam os livros da Flatworld e muitas escolas de ensino infantil já usam o iPad na sala de aula, com o objetivo de atrair o interesse dos alunos pelos conteúdos.

E por falar em e-books, o lançamento dos primeiros livros digitais da L&PM está previsto para breve.

* Campus Party é o maior evento de tecnologia do mundo e a edição brasileira acontece anualmente na cidade de São Paulo. Durante 5 dias, cerca de 7 mil pessoas das mais diversas áreas do conhecimento se reúnem para compartilhar suas experiências, além de participar de oficinas e debates.

Tags: , , , , , , ,

  1. [...] This post was mentioned on Twitter by Ana Paula, LePM Editores. LePM Editores said: Direto da #CampusParty: E-books, iPads e os desafios da educação na cultura digital http://bit.ly/fRKArH #cpbr4 [...]

  2. Daniel Aço disse:

    A tecnologia está aí para ser usada. Parece óbvio, suponho, mas não se pode ter conservadorismo nesse campo. Os livros didáticos caminham fatalmente, cedo ou tarde, ao formato digital. Outrossim, sou favorável a todas as formas de publicações; modestas e de luxo, formatos médio e de bolso, obras digitais e até tiragens impressas em papel-jornal, totalmente recicláveis e vendidas pelo menor preço possível. De resto, é esperar e trabalhar em prol das melhores tecnologias.

Envie seu comentário

* Campos obrigatórios