O “imoral” Huckleberry Finn

capa_huckleberry_finn.indd“Quando Mark Twain era vivo, o livro [As aventuras de Huckleberry Finn] foi criticado e censurado por ser considerado imoral, em parte por causa de várias mentiras que Huck se esmera em contar para se safar de apuros. Em sua Autobiography of Mark Twain (o primeiro de três volumes foi publicado pela University of California Press em novembro de 2010 no centenário da morte do autor), essas críticas são respondidas com a verve característica do escritor: num diálogo com o funcionário de uma biblioteca da qual As aventuras de Huckleberry Finn havia sido retirado das estantes, ele desconcerta o sujeito ao afirmar que a Bíblia também deveria ser proibida por ser muito imoral e fala das passagens bíblicas que os meninos leem às escondidas, o que o próprio funcionário decerto fizera quando criança. Diante da negativa veemente de seu interlocutor, Mark Twain replica que ele está mentindo e que, portanto, deve estar lendo Huckleberry Finn e seguindo seu péssimo exemplo.”

(trecho da nota da tradutora Rosaura Eichenberg na abertura do livro As aventuras de Huckleberry Finn da Coleção L&PM Pocket)

Tags: ,

Envie seu comentário

* Campos obrigatórios