A importância de encontrar um título

Em 1895, Oscar Wilde escreveu uma peça de teatro recheada de humor e ironia que estreou no St. James Theatre, em Londres, em 14 de fevereiro daquele mesmo ano. Seu nome? “The Importance of Being Earnest”. Earnest, em inglês, significa “cuidadoso, sério, honesto”. Adjetivo que faz trocadilho com o nome de um dos personagens: Ernest. Na peça, Earnest e Ernest, por terem o mesmo som, criavam uma série de situações cômicas. Mas como traduzir isso para o português sem perder as brincadeiras propostas pelo autor?

Cena do primeiro ato da apresentação de estreia de "A importância de ser prudente". Em pé, o ator Allen Aynesworth na pele de Algenor Moncrieff. Sentado está Sir George Alexander como Mr. Jack Worthing.

Cena do primeiro ato da apresentação de estreia da peça. Em pé, o ator Allen Aynesworth na pele de Algenor Moncrieff. Sentado está Sir George Alexander como Mr. Jack Worthing.

Alguns tradutores já optaram por usar “A importância de ser Ernesto”, o que anula completamente o trocadilho e o significado original. Também é possível encontrar “A importância de ser honesto” na tradução do título de um filme de 1952 que é baseado na peça. O que também acaba com a ideia de Oscar Wilde.

Então, para felicidade dos leitores, a saída foi encontrada: Prudente. Prudente é nome próprio e também é adjetivo. Sonoramente, ele não tem nada a ver com a criação de Wilde, mas preserva o trocadilho do texto e o humor das falas.

Agora, “A Importância de Ser Prudente” acaba de chegar à Coleção L&PM Pocket com tradução de Petrucia Finkler. Alguns dos melhores aforismos de Wilde estão aqui, e a crítica segue defendendo esta peça como o ápice da carreira do autor, razão pela qual ela segue sendo encenada em todo o mundo.

capa_Importância_prudente.indd

ALGENOR
(…) Além do mais, seu nome nem sequer é Jack; é Prudente.

JACK
Não é Prudente; é Jack.

ALGERNOR
Sempre me disse que se chamava Prudente. Apresentei você a todo mundo como Prudente. Atende pelo nome de Prudente. Tem jeito de se chamar Prudente. É o homem com a compleição mais prudente que já vi na vida. É um absurdo inacreditável afirmar que não se chama Prudente. Está no seu cartão de visitas…

Tags: ,

Envie seu comentário

* Campos obrigatórios