Neal e Jack e eu

Já divulgamos aqui neste blog algumas canções inspiradas em Jack Kerouac e Neal Cassady. Mas faltou uma das mais conhecidas (e importantes): “Neal and Jack and me”, música da banda inglesa King Crimson que faz parte do álbum Beat, de 1982. Beat tem a marca da banda liderada por Robert Fripp: uma mistura de rock progressivo e new wave. Aqui, Fripp e o guitarrista e vocalista Adrian Belew tocam ao vivo a sua ode aos personagens principais de On the road. Abaixo, a letra para que você possa cantar junto.

I’m wheels, I am moving wheels
Eu sou as rodas, estou movimentando as rodas
I am a 1952 studebaker coupe
Eu sou um cupê Studebaker 1952
I’m wheels, I am moving wheels moving wheels
Eu sou as rodas, estou movimentando as rodas movimentando as rodas
I am a 1952 starlite coupe…
Eu sou um cupê starlite 1952…
En route… les Souterrains
Na rota … dos subterrâneos
Des visions du Cody…Sartori a Paris…
Das visões de Cody … Satori em Paris …
Strange spaghetti in this solemn city…
Estranho espaguete nesta solene cidade…
There’s a postcard we’re all seen before…
Há um cartão postal que todos havíamos visto antes
Past wild-haired teens in dark clothing
Antigos selvagem de cabelos adolescentes em roupas escuras
With hands-full of autographed napkins we
Com as mãos cheias de guardanapos autografados
Eat apples in vans with sandwiches … rush
Comer maçãs em vans com sanduíches … pressa
Into the lobby life of hurry up and wait
Dentro do lobby da vida de apressar e esperar
Hurry up and wait for all the odd-shaped keys
Apresse-se e espere por todas as chaves de formas estranhas
Which lead to new soap and envelopes…
Que levam a novos sabonetes e envelopes…
Hotel room homesickness on a fresh blue bed
Saudades de casa no quarto de hotel com uma fresca cama azul
And the longest-ever phone call home…..no
E o mais-longo telefonema para casa….. não
Sleep no sleep no sleep no sleep and no mad
Durma não durma não durma não durma e não pire
Video machine to eat time… a cityscene
Vídeo cassete para comer o tempo… uma cena da cidade
I can’t explain, the Seine alone at 4am
Eu não posso explicar, o Sena sozinho às 4 da manhã
The Seine alone at 4a.m….Neal and Jack and me
O Sena sozinho às 4 da manhã … Neal e Jack e eu

Tags: , , , , , , ,

  1. Em 2003, a Import Generic lançou um CD, intitulado Jazz of the Beat Generation. Era a música que eles ouviam e que eram citadas nos livros do Jack, de On The Road até Lonesome Traveller. A trilha, além de faixas como Hey Ba-Ba-Re-Bop, In A Little Spanish Town, Salt Peanuts (Dizzy Gilespie) e Scrapple From The Apple (Charlie Parker), continha trechos declamados de textos do Jack, em gravações feitas por ele mesmo, para a Verve, nos anos 50. Por conta do que se viu depois, houve uma associação fácil da literatura beat com a música dos anos 60, o que, no fim das contas, é um ligeiro anacronismo. O verdadeiro rock dos beats era o Jazz, e esse CD dá conta disso, o problema é que os ouvintes modernos que se identificam com a prosa kerouaquiana não gostam ou não se interessam por jazz que, se na época era um tipo de gênero popular, hoje é quase uma arte para iniciados, ainda mais quando falamos do Be Bop, que, ao contrário do swing, não era uma música de se dançar mas, sim, uma música de se ouvir.

Envie seu comentário

* Campos obrigatórios