Momento Jason Bourne: assalto na Calle Layetana

Eu já estava na movimentada Calle Layetana, embarcando minha bagagem no táxi que me levaria ao aeroporto. Dei adeus e abracei minha amiga que incansavelmente me conduziu pelas calles e caves de Barcelona. Isso durou dois minutos. Quando me virei para pegar minha bolsa (onde estava tudo, inclusive passaporte), não havia nada. Centenas de pessoas passavam apressadas e uma me disse, “ele foi por ali”. Por instinto eu saí correndo numa velocidade que faria inveja a um velocista jamaicano. De repente eu vi o sujeito no meio da multidão. Reconheci pela alça que tem cor diferente da bolsa. Acelerei mais ainda diante dos pedestres e turistas perplexos e a uns cinco metros do sujeito gritei “ladron!”. Ele tentou correr e, num instante de irreflexão, pulei na garganta dele. Ele caiu e me olhou apavorado. Arrancou a bolsa, atirou-a em mim e se perdeu a toda velocidade pela Calle Princesa, uma transversal da Layetana. Meus batimentos cardíacos estavam, provavelmente, em 440. Pensei em ligar para o Dr. Lucchese… Alguns transeuntes vieram até mim indagando se estava tudo bem com uma admirada solidariedade. E eu saí passo a passo, agarrado na minha bolsa. Aos poucos as nuvens foram se dissipando e o sol apareceu radiante banhando de luz os telhados de Barcelona. Peguei o táxi finalmente. Meu destino é Paris. Amanhã começa o Salão do Livro. Apesar do incidente saio com as mais gratas lembranças dessa cidade amável, linda, onde quero voltar sempre. E espero que em Paris eu não precise utilizar novamente meu lado Bourne…

Tags: , , , ,

  1. Eduardo Bueno disse:

    Convivendo há anos com Ivan, sempre soube que um dia ele iria desenvolver sua veia ficcionista. Ainda bem que quem decide quais os livros que são publicados pela casa é o Lima. E esse conto NÃO será lançado pela prestigiada L&PM.
    um abraço do crítico literário
    Nom de plume

  2. Marianna Soares disse:

    Que aventura heim Ivan!

  3. Denis Akel disse:

    Mais um caso de um infortúnio que acabou gerando um conto interessante. Só achei um pouco desnecessária a alusão a Jason Bourne…

  4. Denis Akel disse:

    Ops, no comentário anterior coloquei errado o link para meu site, que é: http://www.dialogosvisuais.blogspot.com
    Obrigado

  5. Raphael L. M. disse:

    O texto ficou realmente bom. E felizmente tudo foi recuperado né. Ainda bem, seria uma “afronta à dignidade” de um brasileiro, com tanta violência e assaltos no Brasil (infelizmente), sair daqui pra ser assaltado na Europa, haha.

  6. Dá-lhe, professor!

    Além de letrado é velocista e adepto das artes marciais!

  7. Cida Pimentel disse:

    Este meu amigo Ivan é o maximo!!!!

Envie seu comentário

* Campos obrigatórios