Posts Tagged ‘Jane Austen’

Jane Austen tem valor

terça-feira, 18 julho 2017

A escritora Jane Austen morreu em 18 de julho de 1817. Hoje, exatos 200 anos depois, uma nova nota de 10 libras esterlinas, com seu rosto, está sendo lançada na Inglaterra para celebrar o bicentenário de morte da autora.

Jane Austen nota dinheiro

A nova nota que homenageia Jane Austen

Segundo o jornal Estadão, o lançamento oficial da cédula ocorre em setembro e a nota vai substituir a atual, com o rosto de Charles Darwin, em circulação desde 2000. Uma edição limitada da moeda de 2 libras também vai circular na região de Hampshire, no sul da Inglaterra.

Para marcar os 200 anos da morte de Jane Austen, centenas de atividades serão promovidas por seus admiradores espalhados pelo mundo.

Clique aqui e conheça os livros da autora publicados pela L&PM.

A casa onde Jane Austen ainda vive

segunda-feira, 18 julho 2016

No início de 1817, Jane Austen, já bastante doente, deixou a casa em que vivia com a irmã Cassandra na cidade de Hampshire (há 80 quilômetros de Londres) e mudou-se para Winchester com o objetivo de ficar mais próxima de seu médico. A mudança, no entanto, não foi suficiente para salvá-la e, no dia 18 de julho de 1817, aos 41 anos, ela faleceu nos braços de Cassandra. A causa morte foi divulgada como sendo câncer, mas hoje considera-se que a escritora sofria de Doença de Addison.

Mas alguns dizem que ela continua habitando a casa em estilo georgiano de Hampshire - em que viveu entre 1809 e 1817 -, e onde ela trabalhou na revisão dos manuscritos de Orgulho e Preconceito e PersuasãoEm 1949, a residência das irmãs Austen virou museu independente e é administrado pelo “Jane Austen Memorial Trust”. Na casa,  não há nenhuma réplica, tudo é real e pertenceu à Jane Austen. Um documentário já revelou que as pessoas que visitam a casa são envolvidas por uma sensação de paz e que, frequentemente, portas se abrem sozinhas e as pessoas ouvem passos e têm a sensação de que alguém passou. Uma funcionária do museu contou que, certa vez, estava sozinha na casa transcrevendo uma das cartas de Cassandra quando ouviu um barulho estranho no jardim. Ao olhar pela janela, ela não viu nada, mas ao sentar-se novamente para continuar a transcrição, escutou uma voz sussurrando “Cas, Cas…” Isso aconteceu algumas vezes e a moça ficou convencida de que, naquele dia, não foi apenas ela quem leu a carta de Cassandra. Para a funcionária, Jane Austen estava mesmo ao seu lado. Ai, que arrepio!

Jane-Austen-House

Olha lá a Jane Austen na janela!

Museus que exibem literatura

quarta-feira, 18 maio 2016

18 de maio é o Dia Mundial dos Museus, esses lugares sagrados que abrem suas portas para expor arte e vida, história e memória. Há museus enormes como um castelo e também há aqueles tão pequenos que mais parecem uma garagem. Há museus que foram construídos para serem museus e há também os que um dia já foram a casa de alguém. Para marcar a data, separamos museus de escritores famosos em diferentes partes do mundo. Não deixe de visitá-los caso sua viagem for para alguma dessas cidades.

Franz Kafka Museum em Praga. É um museu interativo e moderno que exibe a vida e obra do mais famoso escritor da República Tcheca. O autor de A Metamorfose e O Processo ganhou um espaço à altura de sua obra com um museu que possui seus diários, fotos e primeiras edições originais de obras famosas do escritor. O complexo possuiu uma loja onde é possível encontrar os livros de Kafka em diversas línguas, bem como pôsteres, camisetas e outras lembrancinhas. Olha que ótimo o vídeo do museu:

Jane Austen House Museum em Hampshire, Inglaterra -  Foi nessa casa em estilo georgiano que a autora de Orgulho e Preconceito e Persuasão viveu com sua irmã Cassandra entre 1809 e 1817. Em 1949, a residência das irmãs Austen virou museu independente e é administrado pelo “Jane Austen Memorial Trust”. Dizem que as pessoas que visitam a casa são envolvidas por uma sensação de paz e que, frequentemente, portas se abrem sozinhas e se ouve passos. Uma funcionária do museu já contou que, certa vez, estava sozinha na casa transcrevendo uma das cartas de Cassandra quando ouviu um barulho estranho no jardim. Ao olhar pela janela, ela não viu nada, mas ao sentar-se novamente para continuar a transcrição, escutou uma voz sussurrando “Cas, Cas…” Isso aconteceu algumas vezes e a moça ficou convencida de que, naquele dia, não foi apenas ela quem leu a carta de Cassandra. Para a funcionária, Jane Austen estava mesmo ao seu lado. Ai, que arrepio!

Jane Austen House

The Sherlock Holmes Museum em Londres – O museu do mais famoso detetive da literatura. Se você sabe um pouco sobre Sherlock Holmes, já deve ter ouvido falar no endereço Baker Street, 221b em Londres. Criado por Sir Arhur Conan Doyle, o número da morada do grande detetive e de seu fiel amigo Dr. Watson era, em princípio, fictício. A rua Baker era real, mas o 221b tinha sido inteiramente criado por ele. No entanto, tudo mudou em 27 de março de 1990 quando então o número passou a existir de verdade. Neste dia, o endereço mundialmente conhecido foi inaugurado em uma casa construida em 1815 para abrigar um museu que quer mostrar a casa de Sherlock Holmes exatamente como ela é descrita nos livros de Conan Doyle. Até os 17 degraus que levam ao piso superior estão lá.

Sherlock_Holmes_Museum_221B_Baker_Street

The Beat Museum, São Francisco, Califórnia – Este é um dos museus dedicados aos escritores da geração beat com destaque para Jack Kerouac, autor de On the road. Ele apresenta uma extensa coleção de memorabília dos beats, além de manuscritos originais e primeiras edições. Mas ele não é o único. Há também o Beat Museum em Alhambra, também na Califórnia para o qual foi doada a réplica do carro de Kerouac usado no filme “Na estrada”, de Walter Salles.

the-beat-museum

Casa Museu Pablo Neruda em Isla Negra, Chile – Esta não é a única Casas Museu de Pablo Neruda, mas é a mais famosa. Até porque é aqui que estão sepultados Neruda e sua amada Matilde. Nesta casa, com bela vista para o Pacífico, o escritor e sua mulher viveram. No “complexo” há um café e tendas de artesanato onde se pode comprar lembranças, inclusive livrinhos em miniatura feitos à mão das obras de Neruda.

Neruda Isla Negra

Casa Stefan Zweig em Petrópolis, Rio de Janeiro – Na serra de Petrópolis, está a casa onde o escritor Stefan Zweig que, mais do que um museu, é um moderno centro de memória interativo. O quarto em que o escritor se envenenou ao lado da mulher está lá e as pessoas poderão ler, em alemão, o texto de despedida de Zweig em que ele agradece a “este maravilhoso país, o Brasil”. Há também a máscara mortuária do escritor austríaco, feita por um escultor amador de Petrópolis e doada pelos herdeiros. Ok, é um pouco mórbido, mas Zweig merece a visita.

casa Stefan Zweig

Jane Austen em ritmo sertanejo

quarta-feira, 4 novembro 2015

Inspirado (livremente) no livro “Orgulho e Preconceito”, de Jane Austen, o musical sertanejo “Nuvens de Lágrimas” estreia nesta quinta-feira, 5 de novembro, em São Paulo, transportando uma história que se passa na Inglaterra Vitoriana para o interior do Brasil nos anos 90.

A trama da escritora inglesa agora é contada através de músicas que ficaram famosas na voz da dupla sertaneja Chitãozinho e Xororó. “É muito interessante ver esse gênero da cultura popular associado a um clássico da literatura”, disse Xororó à Folha de São Paulo.

Em “Nuvem de Lágrimas” – que tem roteiro de Anna Toledo e direção de Tania Nardini e Luciano Andrey -, Elizabeth Benet, a jovem protagonista do romance, virou Bete Borba (Lucy Alves) que além de ser gerente de uma cooperativa agrícola, forma uma dupla musical com a irmã. Logo no início do espetáculo, Bete se desentende com o advogado Darcy (Gabriel Sater, filho de Almir Sater), que faz uma reclamação à cooperativa sobre um erro de português na embalagem das geleias produzidas pela mãe da garota.

A diferença social entre os dois rende mais brigas, mas logo o orgulho da menina e o preconceito do rapaz dão lugar à paixão em comum pela música.

O repertório do musical segue com canções mais dançantes, como “Bailão de Peão”, e os arranjos também trazem variações do sertanejo, como o folk e o country. O espetáculo é acompanhado por uma banda de oito músicos, mas muitos dos instrumentos são tocados pelos próprios atores.

Serviço

Quando: De 5/11 a 20/12 – Quinta às 21h, Sexta às 21:30 , Sábado às 17h e 21h e Domingo às 19h
Onde: Teatro Bradesco – Bourbon Shopping – Palestra Itália, 500
Quanto: De R$ 25 a R$ 190

Lucy Alves e Gabriel Sater são Bete e Darcy

Lucy Alves e Gabriel Sater são Bete e Darcy

Para os puristas, que preferem a história original, a L&PM publica “Orgulho e Preconceito”, de Jane Austen, com tradução de Celina Portocarre.

Tudo acaba em pizza literária

sexta-feira, 10 julho 2015

Desde 1985, 10 de julho é o Dia da Pizza em São Paulo. A data foi instituída pelo então secretário de turismo, Caio Luís de Carvalho, porque esta foi a data de encerramento de um concurso que elegeu as 10 melhores receitas de pizza mussarela e margherita da cidade. Ou seja: nesta sexta-feira, mesmo que você não seja um paulista da gema, é dia de lembrar desta companheira de todas as horas, deste que é o cardápio preferido das noites de Domingo (e de muitas outras também). O post de hoje começa e termina em pizza. Só que aqui em pizzas literárias, já que fizemos uma brincadeira com nossos escritores:

Pizzas-Literarias

Invente uma pizza literária você também!

Carta de Jane Austen à irmã deverá ser vendida no Museu de Torquay

quinta-feira, 18 dezembro 2014

Uma carta escrita por Jane Austen para a irmã Cassandra provavelmente será colocada à venda pelo Museu de Torquay. O precioso texto faz uma referência ao romance “Orgulho e Preconceito” que, na época, ainda não tinha sido publicado.

Jane_Austen_cartaTorquay

A carta é parte de uma coleção do museu que inclui também cartas de Charlotte Brontë, John Keats e Abraham Lincoln, doadas em 1930. O diretor da instituição, Basil Greenwood, prevê que o valor levantado na venda da carta de Jane Austen possa chegar a 200.000 libras. “É um objeto fantástico e é muito emocionante tê-lo aqui”.

Mesmo sendo tão valiosa, ela ficou sumida durante anos e ninguém sabia onde se encontrava. “Então, em 1989, alguém encontrou oito álbuns de cartas em um armário do museu”. Greenwood disse que a coleção soma 3.500 itens.  Segundo ele, a venda será para garantir o futuro do museu. “O museu tem contado com legados e doações de pessoas físicas que vem nos mantendo por 170 anos, mas temos que encontrar outras formas de que permaneça aberto.”

A L&PM publica vários títulos de Jane Austen.

 

O ritual diário de célebres escritores

quinta-feira, 18 setembro 2014

Quem não tem um ritual matinal? Nem que seja desligar o despertador do iPhone, escovar os dentes e correr pro trabalho de barriga vazia mesmo. Há outros hábitos mais refinados, no entanto. Jane Austen, por exemplo, costumava tocar piano enquanto a casa ainda dormia e Victor Hugo lia cartas de amor de manhã cedinho…

O escritor nova iorquino Mason Curry pesquisou e colocou no papel 161 diferentes rituais – entre eles os de vários autores famosos – que em algum momento foram descritos em cartas ou nos diários deles. O resultado foi o livro “Rituals: How great minds make time, find inspitation, and get to work”, ainda inédito no Brasil. Dê só uma olhadinha em alguns deles:

JANE AUSTEN

A escritora levantava-se bem cedo, antes das outras mulheres acordarem, e tocava piano. Às 9h, ela organizava o café da manhã familiar, seu principal trabalho doméstico. Em seguida, sentava-se na sala de estar para escrever, enquanto sua mãe e irmã costuravam silenciosamente. Se convidados aparecessem, ela escondia seus papéis e participava da conversa. A principal refeição do dia era servida entre às 15h e 16h. Depois, seguida de uma conversa, uma jogatina, e chá. À noite, leituras em voz alta de romances e era nessa hora que Jane lia seu trabalho em andamento para a família.

O piano de Jane Austen que atualmente está no museu que leva seu nome

O piano de Jane Austen que atualmente está no museu que leva seu nome

VICTOR HUGO

Ele se levantava de madrugada, acordado diariamente por um tiro disparado de um forte relativamente próximo à sua casa, e então recebia uma xícara de café fresco e uma matutina carta de Juliette Drouet, sua amante, que ele havia instalado em Guemsey, há apenas nove portas dali. Depois de ler as apaixonadas palavras de “Juju” para seu “amado Cristo”, Hugo engolia dois ovos crus, trancava-se e escrevia até às 11h em uma pequena mesa que ficava em frente a um espelho.

Hugo)juliette

Os jovens Victor Hugo e Juliette e seus monogramas

MARK TWAIN

Sua rotina era simples: depois de seu café da manhã, ele ía ler e escrever e assim ficava até seu jantar, por volta das 17h. Como ele pulava o almoço, pois sua família não se aproximava durante o estudo – tocariam uma corneta se precisassem dele – ele podia trabalhar sem interrupções por horas a fio. No verão, costumava apreciar o vento: “Em dias quentes”, escreveu ele a um amigo. “Eu abro meus estudos, ancoro meus papéis com pesos, e escrevo em meio a um furacão, vestido com tecido de linho”.

Mark Twain escrevendo

Mark Twain trabalha vestido de linho

FRANZ KAFKA

Em 1908, Kafka conseguiu um emprego no Instituto de Seguro de Acidentes do Trabalhados em Praga, onde ele teve a sorte de trabalhar apenas um turno único. Nessa época, ele estava vivendo com sua família em um apartamento apertado, onde podia se concentrar e escrever apenas de madrugada, quando todos já estavam dormindo. Como Kafka escreveu a Felice Bauer, em 1912, “o tempo é curto, minha força é limitada, o escritório é horrível, o apartamento é barulhento e por isso precisamos ter jogo de cintura para viver a vida de maneira agradável”. Na mesma carta, ele descreve sua rotina: “…às 10h30 (as vezes após, mas não depois das 11h30) eu sento para escrever, dependendo da minha força, inclinação e sorte, até às 14h, 15h, 16h, de vez em quando, até às 6h da manhã.

Kafka 1908

Franz Kafka em 1908

CHARLES DICKENS

Primeiro, ele precisa de absoluto silêncio; tanto que, em uma de suas casas, uma porta extra teve de ser instalada para bloquear o barulho. Seu estudo era precisamente organizado, com uma mesa posta na frente de uma janela e, na própria mesa seus materiais de escrita – canetas de pena e tinta azul – em meio a diversos outros ornamentos: uma pequeno vaso de flores, um grande abre cartas, uma folha dourada com um coelho em cima, e duas estátuas de bronze (uma representando um par de sapos duelando, outra um cavalheiro cercado por filhotes de cachorros).

Dickens

Dickens precisava de silêncio total

Via Shortlist.com

 

 

Escritoras na ponta dos dedos

quarta-feira, 17 setembro 2014

Esmaltes com nomes de escritoras! Se você é uma amante da literatura e adora pintar as unhas, prepare-se para suspirar de emoção com a nova coleção de esmaltes da Granado. A célebre – e secular – indústria de cosméticos carioca lançou uma linha que homenageia sete escritoras: Agatha Christie, Jane Austen, Emily Brontë, Charlote Brontë, Virginia Woolf, Louisa May Alcott e Sylvia Plath. Cada cor possui o primeiro nome dessas mulheres da literatura e tem a ver com a obra delas: Agatha é um marrom avermelhado; Charlotte é um bege acinzentado, Emily é um violeta vivo; Jane é um lilás romântico; Louisa (autora de livros juvenis) é um rosa fúcsia; Virginia é um azul-marinho vibrante e Sylvia é preto intenso.

A Coleção Escritoras da Granado traz sete esmaltes que homenageiam escritoras

Cada escritora ganhou uma cor que tem tudo a ver com ela

Os esmaltes da Granado são livres de de tolueno, parabenos, formaldeído, cânfora e DBP, ingredientes que podem causar alergia e o ressecamento das unhas. A coleção das escritoras é vendida separadamente (a R$ 17 cada), mas no lançamento foi feito um kit para jornalistas com uma latinha, acompanhada de uma caderneta e caneta. A Granado informou que talvez ela seja colocada à venda. Vai dizer que não é um sonho de consumo?

Só não entendemos porque Jane Austen ficou de fora dessa latinha...

Só não entendemos porque Jane Austen ficou de fora dessa latinha…

Com 150 mil títulos, Amazon começa a vender livros físicos no Brasil

quinta-feira, 21 agosto 2014

PublishNews – 21/08/2014 – Por Leonardo Neto

A partir dessa quinta-feira (21), os brasileiros poderão finalmente comprar livros físicos pela Amazon. Para o início das operações, a varejista compôs um catálogo de 150 mil títulos. Para marcar o lançamento, a Amazon oferecerá frete grátis para compras acima de R$ 69 e entrega no dia seguinte para compras feitas antes das 11h da manhã por consumidores de algumas localidades da cidade de São Paulo. Em entrevista que concedeu nesta quarta-feira, com exclusividade ao PublishNews, Alex Szapiro, country manager da Amazon no Brasil, disse que outra funcionalidade estará disponível imediatamente aos brasileiros. É o Leia Enquanto Enviamos, que permitirá que o cliente comece a ler o livro no digital – por meio do Kindle Cloud Reader – enquanto é feito o envio do livro físico.  Essa funcionalidade está disponível para 13 mil títulos, com possibilidade de expansão. “Essa experiência que transita entre o digital e o físico ao mesmo tempo está no DNA da Amazon”, disse ao PublishNews. Clique no Leia Mais e saiba detalhes do início das operações da varejista no Brasil.

Caixa Jane Austen chegou primeiro na loja da Amazon por um preço especial: de R$ 83,90 por R$ 49,90

Caixa Jane Austen chegou primeiro na loja da Amazon por um preço especial: de R$ 83,90 por R$ 49,90

Clique aqui e conheça as ofertas L&PM na loja brasileira da Amazon.

Bolos literários para devoradores de livros

segunda-feira, 18 agosto 2014

Bolos e livros podem combinar mais do que a gente imagina. É o que mostram as fotos abaixo:

Bolo biblioteca

Bolo biblioteca

Bolo Poirot criado pela Sugar Rush Jill

Bolo Poirot criado pela Sugar Rush Jill

Era uma vez um bolo encantado...

Era uma vez um bolo encantado…

Bolo que incentiva a leitura

Bolo que incentiva a leitura

Bolo tributo a Jane Austen

Bolo tributo a Jane Austen

Bolo para devoradores de livros

Bolo com três andares de livros

Bolo "casinha" de livros

Bolo “casinha” de livros

Cupcakes literários

Cupcakes literários