Posts Tagged ‘doodle’

Google homenageia os 160 de Freud

sexta-feira, 6 maio 2016

Nascido em 6 de maio de 1856, Sigmund Freud permanece vivo no consciente – e no inconsciente – do mundo. Hoje, 160 anos após seus olhos se abrirem pela primeira vez, são muitas as homenagens prestadas ao pai da psicanálise. O Google, por exemplo, criou um belo Doodle na página principal do site. No desenho, o rosto de Freud, de perfil, simboliza a ponta de um iceberg, enquanto o restante de sua cabeça, representando o inconsciente, permanece submersa, fazendo referência à sua obra mais conhecida, A interpretação dos Sonhos (que a L&PM publica em diversos formatos).  O criador do Doodle, Kevin Laughlin, explica no blog do Google que dispensou outros símbolos que lembram Freud, como o divã ou sua tradicional poltrona de couro, para desenhar o iceberg: “O iceberg é uma referência às profundezas obscuras da mente inconsciente.”

doodle freud

A L&PM Editores tem uma série inteira dedicada a Sigmund Freud com suas obras traduzidas direto do alemão, além da sua biografia.

Cecília Meireles homenageada pelo Google

sexta-feira, 7 novembro 2014

Cecília Meireles nasceu em 7 de novembro de 1901. Poeta, pintora, professora e jornalista, ela é considerada uma das vozes líricas mais importantes da língua portuguesa.Pra homenageá-la no dia dos 113 anos de seu nascimento, o Google criou um Doodle que mostra Cecília escrevendo sob a luz da lua.

ceciliaDoodleA Coleção L&PM Pocket publica “Cecília de bolso” e “Romanceiro da Inconfidência”.

Um leitor na “Ola Google”

segunda-feira, 16 junho 2014

Nesta segunda-feira, 16 de junho, o Google publicou um doodle em que suas letras realizam a Ola em meio a outras letras. O interessante é que a letra “L”, em vez de estar assistindo ao jogo, está concentrada lendo. Mas quando a Ola chega ele não deixa de se levantar, sem tirar os olhos do seu livro. Ótimo incentivo à leitura durante a Copa.

Leitor concentrado em meio às letras.

Leitor concentrado em meio às letras.

A Ola ficou famosa na Copa do Mundo de 1986, no México.

Google da Europa homenageia Nietzsche

terça-feira, 15 outubro 2013

Um bigode e um cérebro brilhante (em preto e branco e com formas geométricas) foram os elementos escolhidos pelo Google de vários países europeus – como Alemanha, França e Reino Unido – para representar Friedrich Nietzsche no Doodle que marca os 169 anos de seu nascimento. Nietzsche nasceu em 15 de outubro de 1844 em Röcken (Saxônia) e ficou famoso por seus trabalhos críticos em relação à cultura ocidental moderna e a todos os valores políticos e religiosos que a constituem.

Bem que o Google do Brasil poderia ter prestado uma homenagem a ele também, não? Afinal, o filósofo merece.

doodle_Nietzsche

Doodle criado pelo Google homenageia Nietzsche

Clique aqui e conheça as obras de Nietzsche publicadas pela L&PM Editores.

200 anos dos Contos de Grimm

quinta-feira, 20 dezembro 2012

Hoje, 20 de dezembro, o Google homenageia os 200 anos de lançamento do volume 1 dos Contos de Grimm, as famosas histórias eternizadas pelos irmãos Jacob e Wilhelm Grimm, publicadas em livro no ano de 1812. Um doodle apresenta um dos contos mais clássicos dos Grimm: Chapeuzinho Vermelho.

Originalmente batizado de Kinder-und Hausmärchen (Contos infantis e do lar), os Contos de Grimm incluem as mais conhecidas histórias contadas para crianças como O princípe sapoA gata borralheira, Rapunzel, A bela adormecida, O pequeno polegar, Branca de neve, Rumpelstilskin e a já citada Chapeuzinho Vermelho. Eruditos e respeitáveis pesquisadores da sua língua, os irmãos tinham um desejo em comum: reunir toda a tradição oral alemã. Para tanto, colheram os relatos de camponeses e, a partir deles, ofereceram ao mundo histórias que até hoje, dois séculos depois, ainda fascinam as crianças de todos os cantos do planeta. 

A L&PM publica os Contos de Grimm em dois volumes na Coleção L&PM Pocket, mantendo o texto original dos irmãos. 

65. Cabeza de Vaca na cabeça

terça-feira, 31 janeiro 2012

Hoje, 31 de janeiro, quem entra no Google encontra um belo doodle que indica a “Descoberta das Cataratas do Iguaçu por Álvares Núñez Cabeza de Vaca”. Viajante, aventureiro, explorador, Cabeza de Vaca foi o primeiro branco a contemplar as maravilhosas e impressionantes quedas d´água (o que ele terá sentido ao encontrá-las?) no Paraná. Em 1542, ele escreveu em seu diário: “Logo adiante, no ponto onde haviam embarcado, o rio dá uns saltos por uns penhascos enormes e a água golpeia a terra com tanta força que de muito longe se ouve o ruído.” As memórias de Cabeza de Vaca foram publicadas pela primeira vez no Brasil em 1985,  pela L&PM, no livro “Naufrágios e comentários“, trazidas ao público pelo então editor Eduardo Bueno que, nos anos 70, havia lido a respeito dele e de suas viagens pela América Latina. Conversamos com Bueno que nos contou um pouco mais sobre como Cabeza de Vaca aportou por aqui:

L&PM: Quando você ouviu falar pela primeira vez no Cabeza de Vaca?
Eduardo Bueno: Foi no início dos anos 70, quando eu comecei a me interessar e a estudar o litoral de Santa Catarina, numa época em que eu já tinha vontade de escrever sobre história do Brasil. Isso era mais ou menos 1974.

L&PM: E o livro de memórias dele, Naufrágios e Comentários? Quando você leu pela primeira vez?
EB: Eu procurei esse livro durante muitos anos. E é bom lembrar que antes não havia o Google para ajudar. Até que, em 1978, encontrei para vender em um sebo de Buenos Aires.

L&PM: E a edição brasileira? Como surgiu?
EB: Quando eu comecei a trabalhar como editor na L&PM, criei a coleção “Os conquistadores” e o nome dele sempre esteve entre as primeiras opções. Mas optamos por lançar antes os mais conhecidos como Cristóvão Colombo, Américo Vespúcio e Marco Pólo. Em 1985, lançamos a primeira edição de Naufrágios e Comentários.

L&PM: É verdade que você refez alguns dos caminhos de Cabeza de Vaca?
EB: Primeiro, eu me liguei na história dele no Brasil, na rota que fez a pé da Ilha de Santa Catarina até Assunção, no Paraguai. Mas depois fiquei ligado na viagem de Cabeza de Vaca pelos Estados Unidos e refiz alguns trechos. Eram caminhos que tinham a ver com On the Road, principalmente no Novo México. Isso foi em 1985, pouco depois do livro sair pela L&PM.

L&PM: E como foi a descoberta do prefácio de Henry Miller para o livro?
EB: Eu li que Henry Miller adorava o Cabeza de Vaca e descobri que havia uma edição com prefácio feito por ele. Consegui encontrar o livro em um sebo em Nova York e o texto de Miller foi então comprado e incorporado à edição da L&PM. Esse prefácio continua na edição em pocket, junto com a minha introdução e as notas que também foram feitas por mim.

L&PM: Ou seja, graças a você, faz tempo que Cabeza de Vaca anda pelas livrarias do Brasil…
EB: Há ¼ de século. 25 anos!

A capa de "Naufrágios e comentários" de 1985 que agora faz parte da Coleção L&PM Pocket

Toda terça-feira, resgatamos histórias que aconteceram em quase quatro décadas de L&PM. Este é o sexagésimo quinto post da Série “Era uma vez… uma editora“.

Google homenageia Mark Twain

quarta-feira, 30 novembro 2011

É sempre uma bela surpresa abrir o Google e ver uma ilustração ou animação divertida feita para homenagear alguém ou lembrar um acontecimento importante. Quem acessa o buscador com frequência deve ter visto as homenagens  que foram feitas a Julio Verne, Agatha Christie, Fernando Pessoa, Jorge Luis Borges e outros tantos escritores.

Hoje é a vez de Mark Twain! Uma ilustração com seus personagens mais famosos apareceu hoje na home do buscador.

(clique para ampliar)

Mark Twain nasceu no dia 30 de novembro de 1835, há exatos 176 anos. Sobre seu romance mais famoso, As aventuras de Huckleberry Finn, o Nobel de literatura Ernest Hemingway escreveu:

“Toda a literatura americana moderna se origina de um livro escrito por Mark Twain, chamado Huckleberry Finn (…). Não havia nada antes. Não houve nada tão bom desde então.”

Quer tirar a prova da genialidade de Mark Twain? Na Coleção L&PM Pocket você encontra As aventuras de Huckleberry Finn, O príncipe e o mendigo e As aventuras de Tom Sawyer.

Os labirintos de Borges

quarta-feira, 24 agosto 2011

Hoje, quem entrar no Google vai encontrar um doodle que marca o 112º aniversário de Jorge Luis Borges. O desenho, que representa a mente labiríntica do autor, mostra um homem idoso, de bengala, vestindo um terno e mirando um labirinto de escadas, edifícios e estantes. Segundo o Google, este “cenário de arquitetura fantástica” pode ser considerado a representação de uma das histórias mais famosas de Borges: “A biblioteca de Babel”.

“O universo (que outros chamam de Biblioteca) é composto por um número indefinido, e talvez infinito, de galerias hexagonais, com vastos poços de ventilação, cercado por grades muito baixas” escreveu Borges, que morreu em 1986. “Por aí passa a escada espiral, que se abisma e se eleva ao infinito remoto. No corredor, há um espelho, que fielmente duplica as aparências. Os homens costumam perceber nesse espelho que a Biblioteca não é infinita (se fosse, porque causaria essa ilusória duplicação)? Eu prefiro sonhar que as superfícies polidas representam e prometem o infinito”.

O desenho também pode ser considerado uma homenagem à obra “O jardim dos caminhos que se bifurcam”, no qual ele escreve: “Pensei em um labirinto de labirintos, um labirinto sinuoso que conteria o passado e o futuro que, de alguma forma, envolve as estrelas.”   

Contista, poeta e ensaísta, Borges foi um dos gigantes da literatura do século XX. Nascido em Buenos Aires em 24 de agosto de 1899, ele trabalhou como bibliotecário e começou a carreira de escritor publicando poesias. Sua fama internacional veio somente a partir de 1961, quando recebeu o Prix Formentor, categoria ficção, junto com Samuel Beckett, e foi traduzido para o inglês no ano seguinte com a coleção “Labirintos”. Em 1965, John Updike observou que “a América do Norte reconheceu tardiamente o gênio que era Jorge Luis Borges”, em um ensaio para a revista New Yorker. Mas apesar de ser considerado gênio, Borges nunca ganhou o Prêmio Nobel. “Não me conceder o prêmio Nobel tornou-se uma tradição escandinava “, disse ele uma vez.

“As obras de Borges têm contribuído para o gênero da ficção científica, bem como o do realismo mágico. Feliz aniversário, Jorge Luis Borges”, disse o Google em uma animação do seu doodle e postada no YouTube:

De Jorge Luis Borges, a Coleção L&PM POCKET publica Martín Fierro.

No livro Guia de leitura – Cem autores que você precisa ler, há um texto sobre Borges que você pode ler aqui.

Um mergulho no universo de Júlio Verne

terça-feira, 8 fevereiro 2011

No dia do aniversário do autor de A volta ao mundo em 80 dias, o Google fez uma homenagem diferente do convencional em sua página. O doodle (como são chamados os logos comemorativos do Google) de hoje é animado e simula uma viagem de submarino ao fundo do mar, em que é possível escolher a direção da navegação. Mesmo quem não é ligado em datas acaba entrando na brincadeira e no universo do de Júlio Verne.

Sempre que o logotipo da empresa aparece diferente do tradicional, basta clicar sobre o desenho ou animação para descobrir quem é o homenageado ou qual o fato importante do dia. De Einstein a Asterix, passando por Tom Jobim, H. G. Wells e John F. Kennedy, diversos cientistas, artistas e personalidades foram lembrados pelo gigante da internet, como a nossa querida Agatha Christie no dia de seu aniversário:

Doodle em homenagem a Agatha Christie

Júlio Verne nasceu em Nantes, na França, em 8 de fevereiro de 1828. Por suas predições sobre submarinos e máquinas voadoras e até menções a uma viagem à Lua, ele é considerado um dos precursores do gênero de ficção científica. Morreu em 1905, aos 77 anos, deixando um legado de quase 50 obras. Três delas fazem parte da Coleção L&PM Pocket: A volta ao mundo em 80 dias, Viagem ao centro da terra e Os conquistadores.