Há 130 anos, começava a construção da Torre Eiffel

Foi exatamente na data de hoje, em 26 de janeiro (só que de 1887), que os primeiros dos 2,5 milhões de rebites da Torre Eiffel começaram a ser martelados. Mas essa que hoje é o símbolo de Paris, o cartão postal mais popular da Cidade Luz, nem sempre foi visto com bons olhos. Em Paris – Biografia de uma cidade, o historiador Colin Jones (que no livro conta tudo e mais um pouco sobre a capital francesa) oferece um texto especial sobre a Torre Eiffel, contando a respeito de um abaixo-assinado que foi feito assim que as obras tiveram início:

Paris_biografia“A Torre Eiffel, que nem mesmo a gananciosa América, temos certeza, não quereria, é a desonra de Paris. Todo mundo sabe disso, todo mundo fala nisso e todo mundo está profundamente aborrecido com isso – e somos apenas o débil eco da opinião pública universal, que, com todo direito, está alarmada. Basta imaginar uma torre vertiginosamente ridícula dominando Paris como uma gigantesca e negra chaminé de fábrica, esmagando com maciça barbárie a catedral da Notre-Dame, a Sainte-Chapelle, a torre Saint-Jacques, o Louvre, o domo do Hôtel des Invalides, o Arco do Triunfo etc.”

Em 1887, o abaixo-assinado do qual se extraiu essa passagem foi subscrito por um elenco estelar de cerca de cinquenta intelectuais, inclusive os escritores Alexandre Dumas, Leconte de Lisle e Guy de Maupassant, o arquiteto Charles Garnier, compositores Gounod e Massenet, o dramaturgo Victorien Sardou e vários arquitetos. Esses declarados “amantes apaixonados da beleza” assumiram a condição de represenantes de todos que amavam a Paris histórica, mas desprezavam o pensamento de que ela pudesse ser profanada pela “odiosa sombra dessa coluna oca de metal” cuja construção estava recém começando. (…)

A base da Torre Eiffel no início de sua construção

Em defesa da Torre, Gustave Eiffel, o engenheiro responsável por sua construção escreveu uma resposta espirituosa:

“Foi devido a seu valor histórico que as pirâmides causaram impacto tão poderoso sobre a imaginação humana? (…) a torre será o edifício mais alto construído pelo homem. Por que o admirável Egito deve se tornar odiável e ridículo em Paris?”

Hein?

Tags: , , , ,

  1. [...] This post was mentioned on Twitter by Amanda Zampieri, Pedro Girardi, Rennaly Sousa, Rennaly Sousa, LePM Editores and others. LePM Editores said: #blog Começa a construção da Torre Eiffel http://bit.ly/dQHWJo [...]

  2. Daniel Aço disse:

    A propósito da Torre Eiffel, estou lendo um livro ótimo que traz alguns dados sobre a construção. Trata-se, naturalmente, de mais uma brilhante publicação da L&PM. Em Nos Céus de Paris, do gaúcho Alcy Cheuiche, patrono da Feira do Livro de Porto Alegre de 2006, há um capítulo que se passa na Torre Eiffel. O livro, para quem não sabe, é um romance biográfico de Santos Dumont. Muito bem escrito, pensado e articulado, vale a leitura e, de quebra, saber mais sobre a construção da Torre Eiffel, desde dados técnicos até ingerências políticas e curiosidades. Nas sapatas que fixam a edificação ao solo, por exemplo, há parafusos de mais de sete metros de comprimento. Sim, sete metros. Você sabia disso?

    • Nanni Rios disse:

      Puxa, que bacana! Obrigada pela contribuição, Daniel :)
      O livro “Nos céus de Paris” do Alcy Cheuiche é uma excelente sugestão de leitura para quem se interessa pela história da capital francesa.
      Um abraço!

  3. René Neubauer disse:

    Em Rio Claro – SP, tambem a construção de um monumento que lembra a “Torre Eiffel”tambem sofreu varios tipos de comentários
    e protestos.
    É a historia se repetindo em menores proporções!

Envie seu comentário

* Campos obrigatórios