Dos livros para a capa da Time Magazine

Ser capa da Time, célebre revista semanal norte-americana que circula desde 03 de março de 1923, não é pra qualquer um, muito menos pra qualquer escritor. O primeiro destaque literário da Time foi Joseph Conrad, capa da edição número 6 que chegou às bancas em abril de 1923. Até o final dos anos 1930, 37 capas foram dedicadas a autores, entre eles H.G. Wells, James Joyce (duas vezes, em 1934 e 1939), Virginia Woolf e William Faulkner. Nas décadas de 40 e 50, esse número caiu para 17, com Eugene O´Neill e T.S. Eliot entre os destaques. Daí pra frente, os escritores foram minguando pelas capas da Time. E agora só lá muito de vez em quando um best-seller aparece para lembrar que escritor também é celebridade.

Joseph Conrad na capa da Time número 6

H. G. Wells, autor de "Uma breve história do mundo", na capa de 20 de setembro de 1926

Uma semana depois de Wells, em 27 de setembro de 1926, foi a vez de Rudyard Kipling, autor de "O livro da Selva" que deu origem ao personagem Mogli

James Joyce na capa com borda vermelha em janeiro de 1934. O autor de "Ulisses" e "Os dublinenses" voltaria à capa em maio de 1939

Virginia Woolf na capa de 12 de abril de 1937

William Faulkner, que receberia o Prêmio Nobel em 1949, ganhou a capa colorida dez anos antes, em 1939

Quadrinhos também tem vez na Time: Peanuts foi capa em abril de 1965

Tags: , , , , ,

  1. [...] no Blog da LP&M, com informações d’A Biblioteca de Raquel. Share Pin It RelacionadosO que não está nos [...]

Envie seu comentário

* Campos obrigatórios