Arquivo de abril, 2014

Havaianas lança a nova Coleção Snoopy

quarta-feira, 30 abril 2014

Tem para todas as idades. Do bebê ao adulto. Em modelos masculinos e femininos.

havaianas_snoopy6

A nova coleção Havaianas tirou alguns dos personagens de Peanuts das páginas para colocá-los nos pés. O evento de lançamento aconteceu nesta terça-feira, 29 de abril, no Mercado Municipal de São Paulo quando a Alpargatas apresentou toda a coleção Havaianas 2014/2015.

havaianas_snoopy5

As linhas foram expostas em barracas de feiras com grande destaque para os chinelos licenciados, entre os quais estavam Snoopy, Charlie Brown e Woodstock.

havaianas_snoopy2

É ou não é uma fofura?

 

Você precisa conhecer as irmãs Fokkens

quarta-feira, 30 abril 2014

Martina e Louise Fokkens são gêmeas idênticas que nasceram na Holanda durante a Segunda Guerra Mundial. Por volta dos 20 anos elas já eram mães e, nessa época, incentivadas pelos maridos e pressionadas por necessidades financeiras, acabaram se prostituindo. Aos poucos, livraram-se dos companheiros exploradores e dos cafetões e abriram seu próprio negócio. A partir de então, foram 50 anos nas vitrines de Amsterdã. Em 2011, a história das gêmeas deu origem ao documentário “Meet the Fokkens” (no Brasil “Conheça as irmãs Fokkens”) e virou uma biografia que acaba de chegar  pela L&PM. As senhoritas de Amsterdã é um livro curioso e repleto de bom humor.

E além de ler a biografia, também vale a pena assistir ao documentário dirigido por Gabrielle Provaas e Rob Schröder. Na TV, ele já foi ao ar algumas vezes pelo GNT. Clique sobre a imagem para ver uma das cenas:

Clique sobre a imagem para assistir a uma cena do documentário que deu origem ao livro "As senhoritas de Amsterdã".

Clique sobre a imagem para assistir a uma cena do documentário que deu origem ao livro “As senhoritas de Amsterdã”.

A caça aos restos mortais de Cervantes

terça-feira, 29 abril 2014

O governo espanhol está empenhado em achar a ossada de Miguel de Cervantes, o maior escritor espanhol e autor de “Don Quixote”. Cervantes morreu em Madrid, no dia 23 de abril de 1616, falido e com o corpo crivado de balas. A partir daí, o pobre coitado ficou esquecido até que, só muito tempo depois, seu grande romance foi descoberto e seu nome renascido das sombras. Pena que quando isso aconteceu ninguém sabia mais onde era sua cova. Agora, quatro séculos depois, a Espanha tenta reparar este. No dia 27 de abril, uma equipe de peritos iniciou à caça aos seus restos mortais do escritor em uma operação que terá investimento de 100 mil euros. A  busca está acontecendo no Convento de las Trinitárias Descalzas, localizada no tradicional bairro madrilenho de Las Letras.

A busca pelos restos mortais de Cervantes já começou. Só o que se sabe é que ele foi enterrado em uma pequena igreja.

A busca pelos restos mortais de Cervantes já começou. Só o que se sabe é que ele foi enterrado em uma pequena igreja.

A vida de Cervantes não foi fácil. Em 1606, quando ele foi morar em Madrid, o livro “As Aventuras do Engenhoso Fidalgo Dom Quixote de la Mancha” já havia sido publicado e atingido um certo sucesso. Segundo alguns biógrafos, ele acabou virando soldado, foi para a guerra e, ferido em batalha, passou anos como refém na Argélia. Depois ainda teve a má sorte de ser capturado por piratas turcos que exigiram um resgate da família, o que teria arruinado de vez os Cervantes. Há quem seja menos fantasioso, no entanto, e defenda que ele morreu cirrose. (Via Estadão)

A L&PM Editores publica Dom Quixote em dois volumes pocket.

“Arte do artista” homenageia Júlio Cortázar

segunda-feira, 28 abril 2014

Estreia hoje, 28 de abril, às 23 horas na TV Brasil, a segunda temporada de Arte do artista. No programa , o diretor de teatro Aderbal Freire-Filho viaja para Paris para falar sobre como os autores permanecem vivos por meio de seus livros e dos atores que dão vida a seus personagens.

Na estreia da temporada, o assunto é o escritor Julio Cortázar. Em 2014, quando Cortázar completaria cem anos, e Horácio Oliveira, seu personagem de O jogo de Amarelinha, completa 50, o Arte do Artista presta homenagem a ambos. Com direção de fotografia de Marieta Severoque é casada com Aderbale a linguagem de um curta-metragem, o apresentador perambula pelos hotéis baratos, pontes, ruas e cafés de Paris que foram cenário de Cortázar e também sai em busca de Maga, a mulher que Horácio jamais vai esquecer…

O vídeo abaixo foi um bate-papo ao vivo que Aderbal Freire-Filho fez com os internautas sobre as novidades da segunda temporada. Direto de sua banheira que é cenáro do programa:

De Julio Cortázar, a L&PM publica A autoestrada do sul e outras histórias.

Filme sobre Florbela Espanca chega ao Brasil

sexta-feira, 25 abril 2014

Depois de estrear nos cinemas portugueses em 2012 – e de atingir a marca de filme mais assistido em Portugal naquele ano – “Florbela” finalmente chega ao Brasil na próxima semana.

O filme, baseado na vida de Florbela Espanca, a maior poeta portuguesa de todos os tempos, terá pré-estreia em São Paulo no dia 1º de maio, quinta-feira. A atriz Dalila Carmo, que faz o papel de Florbela, chega a São Paulo neste final de semana para participar do lançamento.  No domingo, 27 de abril, das 18h às 19h, Dalila participar de um sarau na Livraria da Vila do Shopping Higienópolis com leitura de obras da poeta.

Florbela Espanca foi a maior poeta portuguesa de todos os tempos

Florbela Espanca foi a maior poeta portuguesa de todos os tempos

Com versos cheios de erotismo e intimidade, Florbela escandalizou a sociedade do início do século XX. E fez isso não só com sua poesia, mas também pela forma como viveu: com sucessivos casamentos e divórcios, sua maneira ousada de vestir e sua personalidade “forte”.

O filme é centrado numa Portugal atordoada pelo fim da I República, quando Florbela (Dalila Carmo) separa-se de forma violenta de António. Ela então apaixona-se por Mário Lage (Albano Jerónimo) e refugia-se num novo casamento para encontrar estabilidade e escrever, mas a vida de esposa na província não parece combinar com sua alma inquieta. Florbela não consegue escrever, nem amar. Ao receber uma carta do irmão Apeles, oficial da Aviação Naval e de licença em Lisboa, corre em busca de inspiração perto da elite literária que fervilha na capital. Na cumplicidade do irmão aviador, a escritora procura um sopro em cada esquina: amantes, revoltas populares, festas de foxtrot… O marido tenta resgatá-la para o que considera a “normalidade”, mas como dar norte a quem tem sede de infinito? Entre a realidade e o sonho, os poemas surgem quando o tempo pára. Nesse imaginário febril de Florbela, neva dentro de casa, esvoaçam folhas na sala, panteras ganham vida e apenas os seus poemas a mantém sã. Por isso, Florbela tem que escrever…

A Coleção L&PM Pocket publica a obra completa de Florbela Espanca em dois volumes.

 

Minissérie inspirada no livro de Claudia Tajes estreia dia 28 de abril às 22h30

sexta-feira, 25 abril 2014

A nova série que estreia na segunda-feira, 28 de abril, no Multishow, vai mostrar que a vingança é um prato que se come rindo. A comédia “Por Isso Sou Vingativa”, inspirada no livro homônimo de Claudia Tajes, traz no elenco nomes como Camila Morgado, Pedro Paulo Rangel, André Gonçalves e Márcia Cabrita.

Assim como no livro, a minissérie conta a história de Sara Xerxes (Camila Morgado), uma dona de lavanderia desiludida que descobre uma nova motivação ao decidir se vingar de seus ex-namorados. Na minissérie, Sara recebe ajuda de Rildo (André Gonçalves), um crossdresser que também trabalha na lavanderia Vesúvio e vai lhe ajudar a executar suas vinganças. Enquanto leva uma vida dupla, Sara ainda tem que lidar com as trapalhadas do pai Onofre (Pedro Paulo Rangel) e de sua madrasta Jéssica (Márcia Cabrita).

A série ainda conta com a participação especial de Marcelo Serrado, Bruno Garcia, Hamilton Vaz Pereira, Márcio Garcia, Augusto Madeira, Leo Jaime, Sérgio Marone, Leonardo Miggiorin, entre outros, como os ex-namorados e vítimas da vingativa.

Produzida pela Zola em parceria com o Multishow, a minissérie em 15 episódios tem direção geral de Izabel Jaguaribe e direção de Hsu Chien.

Clique sobre a imagem abaixo e assista a um divertido vídeo com cenas inéditas da minissérie e entrevistas com o elenco e a equipe da produção:

André Gonçalves, Camila Morgado e Marcelo Serrado em uma cena de "Por isso eu sou vingativa". Clique na imagem para assistir o vídeo.

André Gonçalves, Camila Morgado e Marcelo Serrado em uma cena de “Por isso eu sou vingativa”. Clique na imagem para ser direcionado ao site do Multishow e assistir ao vídeo.

A metamorfose dos clássicos

quinta-feira, 24 abril 2014

O Jornal Zero Hora desta quinta-feira, 24 de abril, traz na capa do Segundo Caderno uma matéria especial sobre a Coleção Clássicos em Mangá da L&PM Editores. Assinado por Alexandre Lucchese, o texto mostra o que os leitores têm a ganhar com estas adaptações que já somam sete títulos.

Clique sobre a imagem para ampliar.

Clique sobre a imagem para ampliar.

Shakespeare antes de Shakespeare

quarta-feira, 23 abril 2014

O maior de todos os dramaturgos nasceu há exatos 450 anos em 23 de abril de 1564. Ou pelo menos se supõe que seja neste dia como mostra um trecho de Shakespeare, de Claude Mourthé, Série Biografias L&PM.

É justamente por um auto de infração que vamos conhecer o pai, John Shakespeare: em 1552, ele recebe uma multa por ter acumulado lixo diante de sua porta na Henley Street. Mas William ainda não nasceu: isso acontecerá doze anos mais tarde. O registro paroquial testemunha que foi batizado em 26 de abril de 1564. Como na época havia pressa de batizar os recém-nascidos, por causa da mortalidade infantil, supôs-se que ele veio ao mundo no dia 23. É a data oficial.

(…)

John Shakespeare, católico – isso é importante -, teve oito filhos, igualmente atestados por registros paroquiais. Os dois primeiros a nascer, meninas, não sobreviveram. O terceiro, William, viu-se então como o mais velho; uma terceira menina morreu jovem, depois vieram mais três irmãos, Gilbert, Richard, Edmund, e uma irmã, Joan. Supõe-se que ele teve uma escolaridade mais ou menos normal na Grammar School de Stratford, onde aprendeu “um pouco de latim”, língua ainda empregada em todos os atos oficiais, e “menos de grego”. É Bem Johnson que o diz em seu poema-prefácio ao Folio de 1623. Aprendeu igualmente a retórica, muito valorizada na época, e certamente dedicou muito tempo à leitura, mesmo supondo que gazeteasse na escola. No começo do século XVIII, Nicholas Rowe, tradutor e exegeta de Shakespeare, acreditou descobrir que, aos catorze ou quinze anos de idade, ele ajudou o pai como aprendiz. Mas que filho não deu uma ajuda ao pai quando a necessidade se fazia sentir? Dessa infância e adolescência não se sabe grande coisa.

Shakespeare_bio

Eduardo Galeano é cidadão do Rio de Janeiro

quinta-feira, 17 abril 2014

Depois de palestrar sobre futebol na Bienal de Brasília e ler trechos de Os filhos dos dias em um ginásio lotado no Rio de Janeiro, Eduardo Galeano encerrou suas aparições públicas no Brasil ao receber a Medalha Tiradentes e o Título de Cidadão Honorário do Município do Rio de Janeiro. A cerimônia de entrega aconteceu na quarta-feira, 16 de abril, e em seu discurso Galeano falou sobre Tiradentes e dedicou a medalha ao amigo Oscar Niemeyer:

Sobre Tiradentes

Ao final do século 18, acreditava-se que as minas do Brasil durariam tanto quanto o mundo, mas cada vez havia menos ouro e menos diamantes e cada vez eram mais pesados os tributos que era preciso pagar à rainha de Portugal e sua corte de parasitas.

Para romper com a Europa, que “nos chupa como esponja”, conspirou um grupo de mineiros e fazendeiros, frades e contrabandistas de longa experiência. A rebelião se propunha converter a colônia em pátria. O Brasil queria ser república independente.

E a rebelião foi crescendo.

Antes que soasse o primeiro tiro de mosquete, falaram os delatores. Os delatores marcaram para morrer os seis que foram condenados, enforcados, decapitados e esquartejados.

O único que não delatou ninguém, e foi por todos delatado, foi o primeiro a adentrar o patíbulo na hora do amanhecer.

O alferes Tiradentes foi o primeiro a ser castigado por querer que os brasileiros fossem brasileiros, em toda a infinita dimensão da palavra liberdade.

* * * 

Eu quero dedicar esta medalha que hoje alegra meu peito à memória de meu muito querido amigo Oscar Niemeyer.

Ele foi, e continua sendo, além de toda morte, o mais entusiasta protagonista dessa louca aventura que hoje chamamos Brasil.

Que assim seja, que assim continue sendo.”

Eduardo Galeano recebe a medalha Tiradentes e o Título de Cidadão Honorário do Município do Rio de Janeiro, dos mandatos do deputado estadual Marcelo Freixo e do vereador Eliomar Coelho.

Eduardo Galeano recebe a medalha Tiradentes e o Título de Cidadão Honorário do Município do Rio de Janeiro, dos mandatos do deputado estadual Marcelo Freixo e do vereador Eliomar Coelho.

Em seu discurso, Galeano citou Tiradentes e homenageou Niemeyer

Em seu discurso, Galeano citou Tiradentes e homenageou Niemeyer

Galeano e o “Homem de Cor”

quarta-feira, 16 abril 2014

O canal do Youtube da PUC Rio disponibilizou um emocionante trecho da leitura que Eduardo Galeano realizou na noite de terça-feira, 15 de abril. Galeano leu “Homem de cor”, de Léopold Senghor, poeta do Senegal.

“Homem de cor” é o texto que está em 29 de Agosto no livro Os filhos dos dias, de Galeano.

gale_homemdecor